25 de maio de 2024
Campo Grande 13ºC

CORRUPÇÃO | NACIONAL

UERJ pagou cabos eleitorais para deputados bolsonaristas, diz site

Universidade pública seria o caixa de cariocas reeleitos

A- A+

O UOL Notícias denunciou nesta 3ª.feira (13.dez.22), que a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) contratou “fantasmas” ligados a dois deputados bolsonaristas reeleitos, Soraya Santos (federal) e Dr. Serginho (estadual), ambos do PL-RJ. Segundo as informações, cabos eleitorais tinham sido pagos com verbas da UERJ.

A reportagem informou que, ao longo dos últimos dois meses, chegou a pessoas que receberam dinheiro da Educação, no Rio de Janeiro, para trabalhar pela reeleição de dois parlamentares. Apesar de trabalharem para os políticos, os pagamentos recebidos eram realizados com recursos que a Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), órgão do governo estadual, direcionou à UERJ.

Em tese, os contratados deveriam ter trabalhado em um projeto da universidade de implementação de espaços de qualificação profissional, que ainda está em andamento. Essas pessoas, porém, negam ter feito qualquer serviço para a universidade, apesar de constarem em listas enviadas em outubro pela instituição ao Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ).

Questionados, Soraya e Dr. Serginho disseram não conhecer o projeto da UERJ e afirmam não ter indicado ninguém. A universidade também nega irregularidades.

INVESTIGAÇÕES 

“Os dados enviados pela universidade ao TCE-RJ fazem parte de uma série de investigações abertas após o UOL revelar, em agosto, a existência de folhas de pagamento secretas da universidade de contratados para projetos realizados com recursos de secretarias e órgãos do governo estadual”, informou o site.

A reportagem disse ainda que além do TCE-RJ, há apurações em andamento dos ministérios públicos Estadual e Eleitoral. Essas investigações podem resultar em ações de improbidade administrativa e até em perda de mandato de políticos envolvidos.

Segundo as apurações, há indícios de que ao menos 45 contratados pela universidade tenham ligação com Dr. Serginho e Soraya Santos. No total, segundo a reportagem, ele receberam um total de R$ 2,314 milhões de recursos que vieram da UERJ. Ao todo, as planilhas do projeto têm 394 pessoas, com valor bruto total de R$ 23,736 milhões.

O QUE OS 'CONTRATADOS' DIZEM

A reportagem entrou em contato com seis pessoas que teriam ajudado os parlamentares nas eleições 2022. Cinco disseram que não fizeram nenhum trabalho na universidade; um desligou o celular após ser questionado especificamente sobre o serviço na UERJ.

“Todos eles afirmaram, em entrevistas feitas pessoalmente ou por telefone, ter apoiado informalmente ou trabalhado para as campanhas eleitorais dos deputados do PL. Esse grupo recebeu R$ 325 mil brutos entre abril e agosto (último mês que consta nas planilhas), segundo as tabelas enviadas pela Uerj ao TCE-RJ”.

Um comerciante e líder comunitário de Nova Friburgo disse que combinou um valor de R$ 18 mil com Soraya Santos para fazer campanha em sua cidade, porém o trabalho não se concretizou.

Cailan da Silva Cardoso, cujo o nome dele consta nas tabelas da universidade com um pagamento de R$ 26 mil em agosto, disse à reportagem que enviou toda a sua documentação para a equipe da deputada eleita, mas nunca recebeu dinheiro. “Nunca fiz nada, nem recebi nada da UERJ e não sei como usaram meus dados. Vou acionar meu advogado”, disse.

Três pessoas, que pediram para não terem as identidades reveladas, afirmaram não ter ideia de como seus dados foram parar na universidade e negaram qualquer relação com políticos. Também disseram nunca ter trabalhado ou recebido um centavo da universidade.

Nas tabelas enviadas ao TCE-RJ, porém, cada uma dessas pessoas consta com um valor recebido de R$ 115 mil brutos entre abril e agosto (total de R$ 345 mil).

APURAÇÃO EM CABO FRIO

Na última semana de novembro, a reportagem do UOL esteve em Cabo Frio, principal base eleitoral de Dr. Serginho, atrás de contratados da UERJAo encontrar Romenique Fagundes Marvila, a reportagem o questionou sobre o seu trabalho com o deputado.