27 de setembro de 2021
Campo Grande 35º 18º

Veja despesas que podem ser pagas com R$ 10,2 milhões que Bernal "não quer" receber da Câmara

A- A+

O prefeito Alcides Bernal (PP) começa 2016 em meio a mais uma crise política com Legislativo Municipal. Já na primeira semana do ano, Bernal entra em atrito com presidente da Câmara de Vereadores, João Rocha (PSDB).

Rocha tem tentado desde dia 30 de dezembro de 2015 entregar, pessoalmente, a Bernal o cheque no valor de R$ 10, 258 milhões referente ao valor economizado do duodécimo da Casa de Leis. Bernal, porém se recusa a receber presidente da Câmara pessoalmente. “Liguei para ele às 7h30 do dia 30 de dezembro, não atendeu, deixei recado, mandei WhatsApp, mas até agora não houve nenhuma resposta”, diz Rocha.

Embora não seja obrigatório que o prefeito receba cheque pessoalmente, o encontro é visto pelos vereadores como ato simbólico de reaproximação ou pelo menos de relação harmoniosa entre Bernal e Legislativo, com quem ele anda em crise desde agosto de 2015 quando reassumiu comando da Prefeitura de Campo Grande. “Parece que ele não quer ter contato, vou aguardar até final do dia de hoje (4), se ele não se manifestar vamos fazer tramitação administrativa, porém acho que encontro seria importante para marcar momento onde temos que comemorar. Essa devolução no momento em que a Prefeitura se encontra representa quantia importante, são R$ 10,258 milhões que Câmara não precisava devolver, mas conseguiu economizar”.

O MS Notícias fez levantamento, com base no último Relatório Resumido de Execução Orçamentária do Município, publicado pela Prefeitura de Campo Grande, referente ao 5º bimestre de 2015, que corresponde aos meses de setembro e outubro, e listou algumas das despesas que Bernal poderia pagar com valor.

Conforme as despesas liquidadas listadas no documento, o valor poderia cobrir, nos meses de setembro e outubro, gastos com educação de R$ 8.963.047,31. O valor também daria para quitar, quase na totalidade, despesas do bimestre com assistência social, R$ 6.147.366,32, e segurança pública, R$ 4.994.363. Daria até mesmo para pagar as seis empreiteiras contratadas para execução de serviços de Tapa-Buraco, assinado em 11 de novembro de 2015. O valor total dos contratos é de R$ 6 milhões com duração de 90 dias.