21 de outubro de 2021
Campo Grande 31º 17º

Vereadores querem pedir intervenção na Prefeitura de Campo Grande

A- A+

Mesmo depois de ter desconsiderado errata em publicação do Diário Oficial de Campo Grande, na última sexta-feira (18), prefeito Alcides Bernal (PP) voltou a ser criticado por vereadores nesta terça-feira (22). Prefeito havia publicado errata informando alteração no artigo 2º da Lei 5.607, de 14 de agosto  de 2015, referente à operação de  empréstimo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no valor de U$ 56 milhões, sem que alteração passasse pela Câmara Municipal. “Prefeito fraudou documento, eu confio no presidente da Câmara. Vamos levar isso até MPE [Ministério Público Estadual]”, disse Paulo Siufi.

O mal estar entre Bernal e vereadores acirrou, após  secretário de Governo e Relações Institucionais Paulo Pedra ter apresentado , semana passada, aos vereadores requerimento solicitando alteração da lei já deliberada por Bernal. “Esse documento me causou bastante estranheza por ter partido do Pedra. Ele sabe como as coisas funcionam aqui, por ter feito parte de nós”, avalia Mario Cesar.

Edil Albuquerque  desqualificou o documento. “Não sou contra empréstimo, mas, é uma falta de respeito vir assinado pelo secretário e não pelo prefeito”.  Saraiva acrescentou que “  muito me admira um vereador [ ex-vereador Paulo Pedra]  compactuar  com um negócio desse. Os campo-grandenses não merecem um prefeito malandro”, afronta vereador.

Segundo Carla Stephanini (PMDB), “o que houve foi um acréscimo de um parágrafo, a malandragem estava em quem queria fraudar um documento público. Essa desordem não pode continuar, por isso devemos pedir intervenção ainda hoje prefeitura”, sugere vereadora.Engrossando coro com a parlamentar, vereador Vanderlei Cabeludo (PMDB) disse ainda que “ Campo Grande não aceita mais alguém com cabeça vazia, temos que imediatamente  fazer alguma coisa na Prefeitura”, considerou.

A deliberação publicada na edição do Diário Oficial de sexta-feira torna sem efeito a errata ao artigo 2º da Lei 5.607, de 14 de agosto de 2015, publicada no Diário Oficial do dia 23 de novembro.