17 de junho de 2021
Campo Grande 26º 15º

Boletim Diário

Carne do Pantanal estará na mesa do consumidor

Leia esta e as principais notícias de hoje do mercado frigorífico

A- A+

A partir de hoje você acompanha diariamente as principais notícias da indústria frigorífica de Mato Grosso do Sul, do Brasil e do exterior. Com colaboração da Assocarnes (Associação de Matadouros Frigoríficos e Distribuidores de Carne do Estado de Mato Grosso do Sul), o MS Notícias Agronegócios traz para você um resumo do que aconteceu no mundo da carne.


Vendas fracas de carne bovina

Com o consumo mais lento neste início de ano, comportamento sazonal típico, o preço da carne bovina tem oscilado nos mercados atacadista e varejista. No fechamento do boi gordo, das seis praças que tiveram alterações de preço, houve queda em cinco e alta em uma. Destaque para Minas Gerais e Tocantins, com recuou em duas praças em cada estado.

No mercado paulista, a carne bovina com osso no atacado, o boi casado de bovinos castrados caiu e está cotado em R$8,38/kg, 13,3% abaixo do preço do quilo do boi gordo.
Fonte: Scot Consultoria

Carne do Pantanal na mesa do consumidor

Consumidores encontrarão nos principais pontos de varejo carne sustentável do Pantanal. A comercialização do produto é resultado da parceria entre a Associação Brasileira de Pecuária Orgânica (ABPO), Korin Agropecuária e o WWF-Brasil.

De acordo com matéria divulgada hoje no Correio Rural, a Korin Agropecuária será a empresa responsável pela comercialização da carne, proveniente de gado criado solto na região do Pantanal onde os animais são alimentados com pastagens livres de agrotóxicos e adubos químicos no solo, ureia, entre outros.

A "Carne Sustentável do Pantanal" inicialmente será comercializada em pontos de venda estratégicos do varejo brasileiro. "Pontos que sirvam de vitrine para as outras redes e lojas. Queremos buscar crescimento de maneira sustentável, de acordo com a capacidade produtiva dos nossos parceiros", diz Reginaldo Morikawa, Diretor Superintendente da Kirin Agropecuária.

Mais informações podem ser obtidas no site: http://www.korin.com.br/blog/
 

Preço da carne pressiona alta de prévia da inflação em janeiro

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15), indicador que tenta antecipar o comportamento dos preços, ganhou força ao subir 0,89% em janeiro, ante variação de 0,79% em dezembro. Em 12 meses, o IPCA-15 registra alta de 6,69%, acima do teto da meta de inflação do governo, de 6,50%.

O maior impacto individual neste mês veio das carnes – que puxaram a alta de 1,45% do grupo alimentação e bebidas; em dezembro, o grupo variou 0,94%. As carnes registraram alta de 3,24%. Outros dois itens exerceram pressão ao grupo: a batata-inglesa (32,86%) e feijão carioca (24,25%).

De acordo com o IBGE, no ranking dos principais impactos, a energia elétrica veio na segunda colocação, com 0,08 ponto percentual e alta de 2,60%. Neste mês de janeiro, em todas as regiões, foi apropriada parte do efeito do Sistema de Bandeiras Tarifárias, modelo de cobrança do gasto com usinas térmicas, que passou a vigorar a partir de primeiro de janeiro. Fonte: Beefworld