18 de junho de 2021
Campo Grande 27º 15º

"BRINCADEIRA FATAL"

'Era uma brincadeira', diz namorado que matou Mariana atropelada

Jovem contou à polícia que casal estaria brincando de subir no capô enquanto o outro conduzia o veículo; o namorado bateu o veículo e passou sobre o corpo de Mariana

A- A+

O jovem Rafael de Souza Carrelo, de 19 anos, disse em depoimento à polícia neste sábado (15. maio) que ele e a namorada, Mariana Vitória Vieira, de 19 anos, estavam 'brincando' de subir no capô do carro, quando nesta madrugada na Avenida Arquiteto Rubens Gil de Camillo, no bairro Santa Fé, em Campo Grande, Rafael bateu o carro e passou sobre o corpo de Mariana. Ele foi preso em flagrante chorando sentado próximo ao corpo da vítima no asfalto. Ela morreu na hora.  

Segundo os investigadores que apuram a situação, o casal se relacionava há cerca de quatro meses e, de acordo com o suspeito, ontem eles não haviam discutido, como foi noticiado anteriormente.

Rafael diz que ontem de manhã eles foram a uma festa de aniversário na casa de um amigo. No local o casal bebeu vodka com energético. 

A linha cronológica narrada pelo suspeito indica que o casal saiu às 3h15 da festinha de aniversário, eles teriam chamado um carro num aplicativo de caronas e seguiram até a casa de Rafael. Na residência, pegaram o carro [do acidente] na garagem e foram até uma lanchonete que não estava aberta, com isso, eles voltaram novamente com destino a casa de Rafael. No trajeto, narra o suspeito, eles resolveram “brincar” subindo no capô enquanto um deles dirigia.

O primeiro a subir foi Rafael, Mariana dirigiu por algumas quadras, depois eles teriam trocado, Mariana foi para o capô e Rafael para o volante. Enquanto Rafael dirigia, ao se aproximar da Via Park, na curva, ele perdeu o controle do carro, subiu o meio-fio, bateu numa árvore e então em um poste de energia, parando à uma distância de 30 metros.

O suspeito contou que em seguida viu a vítima caída, desceu rapidamente a pegou nos braços, levou até o asfalto e começou a gritar por socorro.

Policiais do Batalhão de Trânsito disseram em ocorrência que o suspeito estava sentado ao lado do corpo da vítima e chorava com Mariana nos braços.

Rafael acabou preso em flagrante e não teve fiança arbitrada, pois é acusado de conduzir embriagado e feminicídio – dois crimes, que podem o levar a ficar quatro anos preso.

A delegada Joilce Ramos da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) marcou uma coletiva de imprensa às 17h de hoje para apresentar esclarecimentos acerca do crime.  

FONTE: *Com informações do Campo Grande News.