24 de julho de 2024
Campo Grande 31ºC

ESFORÇOS INICIAIS

Governo Lula já alocou R$ 100 milhões para MS combater incêndios no Pantanal

A ministra Marina Silva disse que os incêndios no Pantanal são provocados pelo homem

A- A+

A ministra do Planejamento, Simone Tebet, anunciou nesta segunda-feira (24.jun.2024) que o governo federal está preparado para repassar recursos necessários aos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul para combater os incêndios florestais. Porém, os valores exatos ainda não foram definidos, pois aguardam os pedidos formais dos governos estaduais e as demandas orçamentárias dos ministérios envolvidos.

A decisão sobre os recursos será tomada na próxima reunião da Junta de Execução Orçamentária (JEO), marcada para 4ª.feira (26.jun.2024). Tebet esclareceu que os montantes destinados aos dois estados serão "infinitamente menores" em comparação com o valor direcionado para a reconstrução no Rio Grande do Sul, embora não tenha especificado os números totais.

Até o momento, segundo ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, o governo do presidente Lula (PT) alocou R$ 100 milhões para o enfrentamento das queimadas no Pantanal, como parte dos esforços iniciais do governo para conter os incêndios que assolam a região.

Marina Silva alertou hoje, durante coletiva à imprensa, para uma das piores crises enfrentadas pelo Pantanal, atribuindo grande parte dos incêndios atuais à ação criminosa.

Segundo Marina, não há registros significativos de raios nesta época do ano que justifiquem o fogo espontâneo, e as queimadas controladas para limpeza de pastagens estão proibidas.

A ministra destacou que a região enfrenta a pior seca dos últimos 70 anos, agravada pela falta de intervalo entre os fenômenos climáticos El Niño e La Niña, impactados pelas mudanças climáticas globais. Cerca de 85% dos incêndios ocorrem em propriedades privadas, onde práticas ilegais de queimada para renovação de pastagens são frequentes.

"O Ministério do Meio Ambiente, em conjunto com todos os setores do governo, está planejando ações coordenadas para enfrentar essa emergência. No entanto, é crucial que haja consciência por parte da população sobre os fatores que contribuem para essas queimadas devastadoras", alertou Marina Silva em coletiva de imprensa após a segunda reunião da sala de situação criada para mitigar os impactos das secas severas em todo o país.