30 de setembro de 2020
Campo Grande 40º 23º

GRADE

SKY anuncia mudanças nos números de emissoras com chegada da CNN Brasil

Ainda segundo a TV por assinatura, uma emissora de rádio deve deixar a grade em 16 de março

Já terminou a maior festa brasileira ‘O Carnaval’, e como havia anunciado antes do início das festas, em janeiro, a SKY TV terá mudanças nas numerações de algumas emissoras. Conforme a empresa as mudanças já começaram a valer desde esse final de semana, sexta-feira (28). Tudo indica que a chegada da CNN Brasil, pode ter provocado essas mudanças.  

De acordo com a SKY as mudanças estão relacionadas aos canais NHK, Rai e SIC. A empresa listou os números alterados: 

O SIC 177 passou ao número 181; o Rai 176 passou a ser 182; e o NHK saiu do 175 para o 183. 

A SKY não confirmou que tenha feito essas alterações devido a entrada da CNN Brasil na grade de programação da TV por assinatura, que acontecerá em 9 de março. 

A CNN deverá rodar no número 175, que agora está vago à rede de notícias.  A empresa promete uma programação diária de notícias.  A grande novidade é ansiada pelos brasileiros. 

A CNN International passará no canal 174 na sequência, no 175 o usuário poderá ter acesso a CNN Brasil. 

Assinantes da TV por assinatura já recebem o anúncio de remoção da emissora de rádio Transamérica Pop da grade. A efetivação dessa remoção deve ocorreu em 16 de março. A SKY explicou que a empresa continuará a oferecer uma variedade de estações aos seus clientes na programação, com 19 rádios de todo o país.

Segundo a prestadora, foi a própria Transamérica que escolheu se retirar da TV paga. Nenhuma substituição foi anunciada ainda. A TV tem hoje, segundo dados obtidos na internet, aproximados 32 milhões de inscritos ativos no Brasil.  

CNN

É um canal de notícias através de televisão por assinatura estadunidense, em propriedade da Warner Media, uma subsidiária da AT&T. A CNN foi fundada em 1980 pelo proprietário da mídia Ted Turner como um canal de notícias 24 horas. Em setembro de 2018, a CNN tinha 90,1 milhões de domicílios de televisão como assinantes (97,7% dos domicílios com cabo) nos Estados Unidos