29 de maio de 2024
Campo Grande 18ºC

INTERNACIONAL

FBI diz que China usa TikTok para controlar dados dos usuários

O aplicativo não é disponibilizado na China

A- A+

O governo chinês tem a capacidade de controlar o software em milhões de dispositivos em virtude de seu relacionamento com o proprietário do TikTok, ByteDance, disse o diretor do FBI (departamento de investigação federal dos Estados Unidos), Chris Wray, ao Comitê de Inteligência do Senado dos Estados Unidos na 4ª.feira (8.mar.23).

O TikTok se tornou um ponto crítico político no Congresso norte-americano, com legisladores apresentando Leis que podem restringir ou proibir o aplicativo no país. Inclusive, Leis que dão poder ao presidente Joe Biden de banir o app do país.  

A reposta de Wray surgiu de um questionamento do senador republicano Marco Rubio, se seria possível que Pequim utilizasse o ByteDance, empresa chinesa proprietária da plataforma de vídeos curtos, para espionar informações de cidadãos dos EUA.

"Eles poderiam usá-lo para conduzir narrativas, como para dividir os americanos uns contra os outros?" Rubio perguntou, apontando para um cenário potencial do TikTok mostrando vídeos americanos defendendo a propriedade chinesa de Taiwan e contra a intervenção dos EUA.

O diretor do FBI respondeu que “sim”.

O diretor do FBI disse que, ao contrário dos EUA que têm isso esclarecido, a diferença entre o setor privado e o público é uma “linha inexistente”. “Algo que é muito sagrado em nosso país – a diferença entre o setor privado e o setor público – é uma linha inexistente na forma como o PCC opera”, acrescentou Wray, referindo-se ao Partido Comunista Chinês.

O TikTok não é disponibilizado na China. Em vez dele, a ByteDance oferece uma outra versão da plataforma, chamada Douyin.

O governo chinês tem uma participação de 1% em uma das subsidiárias domésticas da ByteDance, bem como um dos três assentos no conselho da subsidiária.

Wray alertou em dezembro que o governo chinês controla o algoritmo de recomendação do aplicativo, permitindo que ele potencialmente manipule o conteúdo ou instigue operações para influenciar os usuários, e que o governo chinês mantém a capacidade de coletar dados do usuário.

No dia 28 de fevereiro de 2023, a Casa Branca estabeleceu um prazo de 30 dias para as agências governamentais norte-americanas deletarem o TikTok de todos os seus aparelhos.

A informação está em um memorando de orientação da diretora do Escritório de Administração e Orçamento dos Estados Unidos, Shalanda Young, aos órgãos ligados ao governo dos EUA.

O ex-presidente Donald Trump tentou impedir, em 2020, que novos usuários norte-americanos baixassem o TikTok, mas perdeu uma série de batalhas judiciais. Em junho de 2021, o atual chefe do Executivo dos Estados Unidos, Joe Biden, retirou as ordens executivas de Trump e orientou o Departamento de Comércio a conduzir a revisão das questões de segurança apresentadas pelos aplicativos.