17 de abril de 2024
Campo Grande 22ºC

GUERRA | ORIENTE MÉDIO

Israel fuzila palestinos que imploravam por alimento em Gaza

Governo Benjamin Netanyahu já matou 30.035 palestinos e usa submete 95% da população palestina a fome e nanição

A- A+

104 palestinos foram fuzilados pelo exército de Israel na manhã desta 5ª. Feira (29.fev.24) na Praça Nablsi, na Faixa de Gaza, na Palestina. A campanha genocida de Benjamin Netanyahu mira milhares de inocentes. 

Segundo comunicado da Embaixada palestina, as vítimas aguardavam a chegada de caminhões de alimento em Gaza quando foram alvejados. “Os civis foram atingidos por bombardeios de artilharia direta, mísseis de drones e tiros. O massacre é um crime hediondo contra a humanidade, militares fortemente armados atacando civis indefesos na Gaza assolada pela fome”, declarou o consulado. 

Reportando do local, Ismail al-Ghoul da Al Jazeera disse que depois de abrir fogo, os tanques israelenses avançaram e atropelaram muitos dos corpos mortos e feridos. “É um massacre, além da fome que ameaça os cidadãos de Gaza”, disse o repórter diretamente de Gaza.  

Reportando a partir de Jerusalém Oriental ocupada, Bernard Smith, da Al Jazeera, disse que os militares israelitas “inicialmente tentaram atribuir a culpa à multidão”, afirmando que dezenas de pessoas ficaram feridas por terem sido esmagadas e pisoteadas quando os camiões de ajuda chegaram.

“E então, depois de algumas pressões, os israelenses passaram a dizer que suas tropas se sentiam ameaçadas, que centenas de soldados se aproximaram de suas tropas de uma forma que representavam uma ameaça para elas, então responderam abrindo fogo”, acrescentou Smith.

Líderes dos países vizinhos condenaram o ataque contra palestinos desarmados.

O gabinete do presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, disse que ocorreu um "horrível massacre conduzido pelo exército do invasor israelense".

Desde 7 de outubro de 2023, Israel já matou 30.035 palestinos na Faixa de Gaza, sob o argumento de que está em guerra com o Partido Hamas. Porém, o exército está matando à reveleia cidadãos e cidadãs palestinas, dentre as quais a maioria são crianças e mulheres.

 

Até momemnto, o exército de Israel matou ou feriu mais de 5% da população e estão usando a fome como arma, um claro crime de guerra na lei internacional.

Estima-se que 95% das pessoas enfrentando iminente inanição no mundo hoje estejam em Gaza.

O massacre é tão alarmante que os cemitérios na Palestina já não dão conta de sepultar os mortos, não há mais vagas. Assim, muitas famílias cavam as valas e enterram os seus parentes.  

FONTE: AL JAZEER