19 de maio de 2024
Campo Grande 17ºC

UNILATERAL

Vladimir Putin ordena cessar-fogo na guerra contra a Ucrânia

Medida vale para o Natal Ortodoxo; Ucrânia diz ser "armadilha"

A- A+

O autocrata russo, Vladimir Putin, ordenou ao Ministro da Defesa Sergei Shoigu, nesta 5ª.feira (5.jan.2023), que seja promovido um cessar-fogo de 36h na guerra contra Ucrânia, em razão do Natal Ortodoxo.

É o mesmo Natal celebrado por todos os cristãos, mas que considera o nascimento de Jesus 14 dias depois dos católicos romanos. É uma questão de calendário que seprara igrejas com uma história comum.

“Com base no fato de que um grande número de cidadãos que professam a religião ortodoxa vivem nas áreas de combate, pedimos ao lado ucraniano que declare um cessar-fogo e lhes dê a oportunidade de assistir às festividades religiosas na véspera de Natal, bem como no dia da natividade de Cristo”, diz a determinação.

A medida da proposta é que a guerra seja interrompida das 12h da 6ª.feira (6.jan) até meia-noite de sábado (7.jan), no horário de Moscou. 

A decisão é unilateral, pois a Rússia pressiona o lado ucraniano para "declarar um cessar-fogo". A propaganda do autocrata seria para "dar aos cidadãos a oportunidade de assistir aos serviços de Natal". Putin atende a um pedido do chefe da Igreja Ortodoxa Russa, Patriarca Kirill, que pediu anteriormente que fosse dada uma "trégua de Natal". O mesmo Kirill teria, entretanto, votado para que Putin inciasse a guerra contra o País vizinhio.  

O Gabinete do Presidente Volodymyr Zelensky garantiu que a Igreja Ortodoxa Russa encorajou o genocídio dos ucranianos e promove a guerra, de modo que o apelo de Kirill por um "cessar-fogo" é uma armadilha e um elemento de propaganda.

O Estado-Maior das Forças Armadas informou que não haverá cessar-fogo temporário por parte dos militares ucranianos no dia de Ano Novo, pois os ocupantes russos ainda estão no território de nosso país.