15 de outubro de 2021
Campo Grande 29º 20º

Epidemia de dengue

Bernal decreta situação de emergência na Capital

A- A+

Prefeito da Capital Alcides Bernal (PP) declarou nesta segunda-feira (18), por meio do decreto nº 12.806, publicado no Diário Oficial do Município, situação de emergência no município de Campo Grande em função da epidemia de dengue. Conforme publicação, o decreto tem vigência por 180 dias consecutivos e ininterruptos.

De acordo com publicação, decreto segue indicadores estatísticos da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), considerando circulação concomitante dos vírus Zika e Chikungunya. Conforme publicação, decreto estabelece situação jurídica especial, que permita o atendimento às necessidades temporárias de excepcional interesse público, em resposta à situação de emergência, bem como o expressivo aumento do número de consultas nas Unidades de Pronto Atendimento e demais unidades da rede, e a avaliação do cenário atual local, pela Defesa Civil do Município. Decreto é assinado pelo prefeito Alcides Bernal, Secretário de Saúde Ivandro Fonseca e Procurador-Geral do Município,Denir de Souza Nantes.

Investigação

Campo Grande iniciou o ano de 2016 com duas mortes que estão sob suspeita de dengue. O óbito de uma menina de oito anos ocorrido na terça-feira (12) está sendo investigado, conforme Secretaria Municipal de Saúde (Sesau). Maria Fernanda Amarilha Pereira morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila Almeida com suspeita de dengue, porém relatório da Sesau aponta diagnostico de cardiopatia congênita, o que é contestado por familiares da menina. De acordo com familiares de Maria Fernanda, a criança foi levada para a UPA no domingo (10), saindo de lá na segunda-feira (11) e voltou a passar mal. Conforme familiares, Maria Fernanda foi novamente encaminhada para UPA na segunda-feira a noite.

A morte da estudante Karolina Ribeiro Soares Rodrigues, 16 anos, que faleceu na quarta-feira (13) também está sendo investigada. A estudante passou por duas consultas no Centro Regional de Saúde do Bairro Coophavilla, antes de ser internada no Hospital Regional Maria Aparecida Pedrossian. De acordo com Sesau, a estudante recebeu procedimento padrão para casos suspeitos de dengue, sendo liberada em seguida. Contudo, a estudante voltou a passar mal e encaminhada para o HR, às 9 horas, com dores nas costas. Em 15 minutos, a estudante sofreu uma parada respiratória e foi encaminhada para o Centro de Terapia Intensiva (CTI). Karolina Ribeiro Soares Rodrigues foi reanimada por duas horas, mas não resistiu e morreu. Nos dois casos as famílias questionam negligência no atendimento das unidades de saúde do município.

Levantamento

Na última sexta-feira (15), Ministério da Saúde  divulgou levantamento, apontando Mato Grosso do Sul como o oitavo estado brasileiro com maior número de casos confirmados de dengue. Conforme o órgão, o balanço levou em conta os números de 2015 em relação aos registros de doentes em estado de alerta, ou seja, aqueles em observação e cujo quadro pode se agravar. De acordo com Secretária de Saúde do Município, Campo Grande fechou 2015 apresentando epidemia de dengue com 13.825 casos notificados e 4.013 confirmações da doença.