19 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

SISGRAN

Capital não tem levantamento de quantos infectados por Covid-19 há por bairro

Cidade poderia fazer o levantamento, 'mas não nesse momento', disse a Sesau

Conforme o Boletim Epidemiológico desta 4ª-feira (6.jan.2021), a taxa de ocupação global está em 90% na macrorregião de Campo Grande, sendo 44% para leitos de UTIs Covid e 41% para leitos não Covid. O Sistema Municipal de Indicadores de Campo Grande - MS (SISGRAN), fazia no início da pandemia um mapa que mostrava a situação e número e infectados por bairro na Capital. O levantamento não está mais sendo realizado. 

A Secretaria Municipal de Saúde justificou. “O Sisgran fazia o georreferenciamento de notificações e confirmações por área de abrangência e não por Bairro, utilizando como marcação um ponto de calor. Com aumento no número de casos ficou inviável a manutenção do monitoramento daquela forma pois poderia apresentar duplicidade. O Sisgran era uma ferramenta gerida pela Planurb e não pela Sesau”, explicou. 

Aos menos três hospitais de Campo Grande registram taxa de ocupação em 100% de leitos de UTI Covid: Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, Hospital Adventista do Pênfigo e a Clínica Campo Grande. Com 90%, está a Santa Casa de Campo Grande, onde há 30 vagas disponíveis, mas 27 leitos de UTI Covid estão ocupados. Já o Hospital Universitário da UFMS registra taxa de ocupação de leitos Covid em 50% e do Hospital El Kadri com 40% de ocupação.

Com a atualização desta 4ª-feira (6.jan) mais 1.582 novos casos de Covid-19 foram confirmados, o número total de infectados pela doença desde o início da pandemia sobe para 139.152 no Estado. Do total de infetados de ontem até hoje, 556 são da Capital, com isso, a cidade soma 62.624 pessoas infectadas pela doença, isso é 45% do total de casos de MS. A Capital também perdeu 15 pessoas nas últimas 24h, quando foram registrados 28 óbitos em MS, com isso a cidade soma 1.579 vidas perdidas para o vírus. 

Apesar do quadro, não se pode saber neste momento quantos infectados há por bairro em Campo Grande. O Singran, criado em 2009 com o intuito de facilitar e agilizar o acesso aos dados principais e mais relevantes do município, pois não havia ferramenta semelhante disponível à sociedade, está sem esses dados e chegou a tirar do ar levantamentos que havia feito no início de 2020.  

O levantamento por bairro, segundo leitores do MS Notícias, poderia ajudar no convencimento a população respeitar o isolamento social. 

Prints enviados a reportagem mostram que entre março e abril de 2020 o levantamento estava funcionando, depois foi desativado e os mapas tirados do ar. Veja: 

Mapa do Sisgran de março de 2020

Mapa do Sisgran de 17 de abril

Segundo a Sesau, o levantamento seria possível, mas não neste momento. "Conseguem [fazer]. Só não é possível fazer esse balanço no momento, considerando que são mais de 1 mil vítimas e teria que ser verificada ficha por ficha individualmente", finalizou.  

O MS Notícias perguntou a Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano (Planurb) o porquê da paralisação do levantamento e aguarda resposta.