19 de junho de 2021
Campo Grande 27º 14º

Calote

Instituto Mirim ainda não recebeu os pagamentos da Prefeitura

Os adolescentes estão recebendo os salários normalmente, com recursos próprios, fruto da economia feita durante o ano de 2014 do Instituto

A- A+

O Instituto Mirim anunciou que o repasse que a Prefeitura de Campo Grande deveria ter feito ao instituto ainda não foi realizado, e essa situação vem acontecendo desde 2014. Em 16 de dezembro de 2014, o Instituto Mirim e a Prefeitura de Campo Grande firmaram um acordo, mediado pelo promotor da 27ª Promotoria de Justiça, Infância e juventude, Sérgio Fernando Raimundo Harfouche, com o objetivo de regularizar os pagamentos atrasados e manter o convênio, de forma a salvaguardar os jovens atendidos pelo Instituto Mirim.

O repasse atrasado já chega ao montante de R$ 954.637,03, referentes aos serviços prestados pelos adolescentes do Instituto Mirim nas secretarias, fundações e autarquias municipais.

Deste valor, R$ 761.443, 29, são dos Mirins que trabalham diretamente no Paço Municipal, R$145.832,39,  são dos Mirins que trabalham na Secretaria Municipal de Saúde e o restante são dos Mirins que trabalham na Funesp, Funsat, Fundac, Planurb e IMTI.

Segundo a assessoria, os adolescentes estão recebendo os salários normalmente, com recursos próprios, fruto da economia feita durante o ano de 2014.

Em reportagem exclusiva ao MS Notícias, a diretora do Instituto explicou as dificuldades de manter uma relação harmoniosa com a atual gestão municipal. De acordo com a diretora do IMCG, desde o mês de setembro a prefeitura não estaria pagando aos Mirins o valor integral do salário dos 449 adolescentes que prestam serviço ao município pelo Instituto.

Também foi esclarecido pela diretora, sobre a declaração do prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), teria acusado o instituto de receber R$ 500 mil para uma reforma que não teria sido realizada. A reportagem do MS Notícias teve acesso às fotos de toda reforma feita em praticamente toda estrutura do prédio. Banheiros, cozinha, salas de aula, tudo foi reformado desde estrutura até acabamento final.

Além disso, para esclarecer todas as acusações indevidas que Gilmar Olarte fez ao IMCG, a diretoria realizou uma reunião com os pais, explicando a situação e mostrando ainda os comprovantes de pagamentos.

Olarte, por diversas vezes em agendas públicas, não respondeu os questionamentos referentes ao caso, se negando a falar sobre o assunto. Antes do MPE intervir, Olarte, por meio do atual secretário de administração, estava  pressionando a atual diretora para renunciar, exigindo que o estatuto seja alterado para que o Mirim passasse a ser submetido à prefeitura e que  sua esposa, Andreia Olarte fosse a diretora. Até abril do próximo ano, esta manobra do atual prefeito não deu certo.