29 de maio de 2024
Campo Grande 14ºC

PREVENÇÃO | DENGUE

Prefeitura inicia mutirão de combate à dengue no Jardim Noroeste

Com o objetivo de reduzir os índices de notificações, o município tem intensificado as ações de rotina e utilizado outras estratégias

A- A+

 

Nesta sexta-feira (28), a Prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), realiza o "Dia D de Combate à Dengue", no Bairro Jardim Noroeste. A mobilização que deve se estender até a próxima semana, é realizada com apoio da Subsecretaria de Articulação Social e Comunitário, Associação de Moradores do Jardim Noroeste, Clube de Mães do Jardim Noroeste e Conselho Local de Saúde da USF Jardim Noroeste

Conforme o secretário municipal de Saúde, Dr. Sandro Benites, a participação e envolvimento de toda a sociedade é fundamental para que o trabalho seja mais efetivo. O Jardim Noroeste está entre os bairros com maior incidência da dengue.

"O Poder Público está fazendo a sua parte, mas é preciso que todos participem. Nós estaremos ao longo da semana nessa força-tarefa trabalhando de maneira preventiva e efetiva, contribuindo para reduzir os índices das doenças transmitidas pelo mosquito", diz.

A ação conta com a participação dos agentes de combate às endemias e agentes comunitários de saúde da localidade, além das lideranças, conselheiros e presidentes dos bairros da região.

A expectativa é de que os trabalhos se estendam até o dia 08 de maio, com a realização de visita domiciliar e em imóveis críticos, além do recolhimento de materiais inservíveis. Serão disponibilizados  ainda pontos de descarte para que a população também possa fazer o depósito destes materiais.

*Dados epidemiológicos*

Do dia 01 de janeiro a 26 de abril foram notificados 7.811 casos de dengue e dois óbitos provocados pela doença na Capital. No mesmo período do ano passado foram 6.067 casos notificados e quatro óbitos.

Os índices são considerados preocupantes, o que reacende o alerta em relação as medidas de prevenção e controle das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, sobretudo à dengue. Os casos de Chikugunya e Zika se mantém estáveis.

No último mês, houve um aumento de mais de 20% na procura por atendimento nas unidades de urgência e emergência do município em decorrência da doença.

Conforme mapa de notificações da Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais (CCEV), referente a semana 01 a 16, oito bairros e parcelamentos de Campo Grande encontram-se com índices considerados muito altos, são eles: Caiobá, Chácara dos Poderes, Los Angeles, Maria Aparecida Pedrossian (MAPE), Nova Lima, Jardim Noroeste, Nova Lima , Tiradentes e Tijuca.

Com o objetivo de reduzir os índices de notificações, o município tem intensificado as ações de rotina e utilizado outras estratégias como a Operação Mosquito Zero, o programa “Colaborador Voluntário”, e o projeto Wolbachia.

Em pouco mais de cinco meses, aproximadamente 55,3 mil imóveis foram inspecionados nas sete regiões urbanas durante a Campanha Operação Mosquito Zero. Os trabalhos foram iniciados em 16 de novembro do ano passado e concluídos no dia 31 de março. Cerca de 300 agentes da Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais da Secretaria Municipal de Saúde (CCEV/Sesau) estiveram mobilizados nas ações. Ao todo foram 39 mil depósitos e 2,6 mil focos eliminados.