07 de maro de 2021
Campo Grande 30º 20º

VACINAÇÃO

Sinpetro MS reitera inclusão da classe frentistas em grupo prioritário

Ainda sem devolutiva, Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes encaminhou ofício para a Secretaria de Saúde no dia 13

Semelhante ao apoio recebido à nível nacional, pela Federação dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo (FENEPOSPETRO) através de seu sindicato regional - como mostrou ontem (14.jan) o MS Notícias - os frentistas de Mato Grosso do Sul também contam com o amparo do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes MS (Sinpetro). Há dois dias (13.jan.2021) a associação emitiu ofício, aos cuidados do secretário de estado de saúde Geraldo Resende, reforçando a inclusão de dos funcionários e proprietários de postos de combustíveis como grupo prioritário na vacinação.

"Somos considerados serviços essências e não paramos desde o início da pandemia. Nada mais justo do que sermos incluídos no grupo prioritário. Estamos na linha de frente, assim como os enfermeiros e profissionais de saúde, em menos risco claro, mas assim como os caixas de supermercado, farmácias, todos os setores que tem o contato direto com o fluxo de pessoas e não pararam seus trabalhos", explicou o diretor executivo da Sinpetro, Edson Lazarotto. 

Diante da preocupação de toda a população mundial com a COVID-19, Campo Grande e Mato Grosso do Sul adotam o mesmo discurso, que coloca saúde e economia em lados opostos da balança, aderindo à poucas alternativas de adaptação desde o início da pandemia, e adotando medidas largas quanto às proibições e serviços essenciais, para manter a vida na cidade o mais próximo do "normal, como era antes". 

Encarregado de alertar; informar aos donos e gestores de postos de combustíveis sobre a propagação do Coronavírus e orientar a respeito das medidas de prevenção e sobre como agir em casos confirmados da doença, o Sinpetro MS publicou em seu portal um protocolo de prevenção contra COVI-19, baseado nas diretrizes e instruções divulgadas pela Organização Mundial da Saúde, pelo Ministério da Saúde e ANVISA. 

"Adotamos tudo o que foi solicitado pelas entidades de saúde. Procuramos de todas as maneiras nos precaver em relação à essa situação, mas sempre ocorre. Tivemos casos dentro do setor de COVID. Parece que no Estado teve apenas um óbito. Então nosso setor se precaveu muito bem, mesmo trabalhando 24h", revela ainda Edson 

Sobre a rotina de cada posto e o perigo ao qual se expõe cada funcionário, o diretor executivo expõe que, muitos funcionários são pegos pela desatenção em momentos de descanso. "Durante esse turno, se não tem cliente ele fica sentado e óbvio que em algum momento vai tirar a máscara. E, querendo ou não, estamos trabalhando em local aberto e ventilado, não existe muita preocupação com relação a isso. Mas de qualquer maneira, no atendimento não tem como ficar longe do cliente", finaliza Edson Lazarotto. 

Em nota publicada no início da semana, o presidente da Fenepospetro, Eusébio Pinto Neto foi em direção ao que comentou o diretor executivo da Sinpetro, abrindo o texto com um agradecimento aos frentistas por estarem se expondo todos os dias à contaminação. 

Segundo informações, a Sinpetro ainda não recebeu devolutiva por parte da Secretaria de Saúde, que não se manifestou.