07 de maro de 2021
Campo Grande 30º 20º

PEQUENA PARCELA

190 mil vacinas atendem apenas a 6,76% da população total de MS

Vacinômetro deve trazer, assim que lançado, esse dado aos sul-mato-grossenses

O Governo do Estado recebeu na noite de ontem, 2ª-feira (25.jan.21) o terceiro lote com 10 mil doses da vacina contra Covid-19. Com a nova remessa, MS tem agora 190 mil doses recebidas da vacina contra o coronavírus. Número a ser comemorado, mas também vale ressaltar que a quantidade de doses atende a pouco mais de 6,7% de uma população que em 2020, segundo o Instituto de Geografia e Estatística (IBGE), chegou a 2.809.394 pessoas. 

O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, destacou que a chegada de mais doses da vacina é importante para os municípios continuarem a seguir a imunização dos públicos prioritários, seguindo o cronograma do Ministério da Saúde. “Esperamos que os municípios deem agilidade na imunização dos públicos listados. Estamos dando toda transparência na distribuição das vacinas”, disse.

As 10 mil doses que acabam de chegar vieram da produção do Instituto Butantan, tendo desembarcado no Aeroporto Internacional de Campo Grande na noite da segunda-feira. Os imunizantes foram colocados no caminhão de transporte. Do aeroporto, a Polícia Federal fez a escolta do caminhão até a Coordenadoria Estadual de Vigilância Epidemiológica (Ceve/MS).

Sabendo da pequena porcentagem que está sendo atendida com a vacina até o momento, os secretários estaduais de Governo, Eduardo Riedel, e de Saúde, Geraldo Resende, de Mato Grosso do Sul, rebateram na ontem, segunda-feira (25), o que chamaram de discursos negacionistas em relação aos efeitos da pandemia de Covid-19. Eles asseguraram que o estado não vai mudar procedimentos e seguirá se pautando pela informação científica.

Riedel afirmou que apesar da vacinação ter começado, é preciso manter as medidas de prevenção e criticou esse tipo de discurso – não citando a fontes. Comentou, entretanto, que negam fatos concretos.

O secretário de Governo assegurou ainda que será mantida a rigidez e a transparência em relação aos grupos prioritários na aplicação das vacinas e voltou a lembrar que se necessário o Executivo tem recursos para comprar mais doses.

VACINÔMETRO 

O estado quer criar uma ferramenta que já está sendo desenvolvida, chama-se "Vacinômetro", semelhante a que já está sendo utilizada pelo estado de São Paulo, local que também saiu na frente quanto a vacinação, tendo sido o 1º estado do país a imunizar a primeira pessoa, uma profissional de Saúde.  

Em fase de testes, o "Vacinômetro" é desenvolvido pela Secretaria de Estado de Saúde, e deve ser lançado até o final desta semana. A ferramenta deve trazer a atualização contínua da porcentagem da população que está sendo imunizada. A nova ferramenta dará, segundo o Governo, mais transparência no processo de imunização contra o coronavírus em MS.