15 de junho de 2021
Campo Grande 28º 15º

"Aécio cometeu grande erro ao ser agressivo com Dilma", afirma deputado Vander

A- A+

Diante do resultado positivo da última pesquisa eleitoral divulgada pelo insituto Ibope, encomendada pelo jornal Estadão e pela Rede Globo que mostra a presidente Dilma Rousseff (PT) com oito pontos de vantagem em relação ao seu adversário Aécio Neves (PSDB), os petistas de Mato Grosso do Sul comemoram e esperam colher até domingo os frutos positivos do crescimento de Dilma e do PT alavancando a candidatura de Delcídio do Amaral (PT) ao governo.

Para o deputado federal, reeleito pelo PT, Vander Loubet melhor que o crescimento de Dilma é o aumento da rejeição a Aécio Neves. "Ontem mesmo conversando com Lula e com outras pessoas percebemos que o Aécio cometeu um grande erro ao atacar a presidente Dilma, chamá-la de leviana, por exemplo, isso só mostra o comportamento agressivo dele", diz Vander.

Na análise do deputado, os ataques de Aécio a Dilma acacabram surtindo efeito contrário ao tucano, que assumiu uma imagem de "filhinho de papai, playboy, sem respeito pelas mulheres", o que provavelmente tem comovido a população e aumentado a simpatia do eleitorado principalmente feminino em torno de Dilma. "Dilma tem crescido muito entre as mulheres e elas hoje são maioria da população. Nós temos que entender que existem hoje cerca de 6% a 10% de eleitores que decidirão o voto nos próximos dias e esses eleitores ao analisar os fatos irão nos ajudar muito."

O crescimento de Dilma ao que tudo indica já era esperado. Ontem, ainda em Campo Grande, conforme Vander, Lula conversou por telefone com instituto Vox Populi, que realiza pesquisa eleitoral a pedido do PT, e segundo dados, a presidente já está com dez pontos percentuais à frente de Aécio.

Além dos ataques de Aécio a Dilma, outro ponto favorável ao crescimento da presidente foi a tática de campanha adotada pelo PT no segundo turno das eleições, que instituiu o "Quem Compara Vota 13". Desde o início da campanha do segundo turno, o PT tem proposto ao eleitor que faça comparação entre os oito anos do governo Fernando Henrique Caradoso e os 12 anos do governo Lula e Dilma. O discurso colou, principalmente, entre o eleitorado de baixa renda, que foi amplamente beneficiado pelos programas sociais do PT.

Com Dilma na liderança, o PT de Mato Grosso do Sul espera que aconteça o mesmo com Delcídio, que saiu no início da campanha do segundo turno atrás de Azambuja, mas na última pesquisa está tecnicamente empatado com o tucano. "Vamos certamente crescer, pois a presença do govenro federal no Estado é muito forte, e às vésperas da eleição você ter a presidente com oito pontos de vantagem é extremamente positivo para Delcídio." Vander acredita que o debate neste segundo turno deixou claro para população a diferença de prioridades entre os dois partidos, PT e PSDB. "Vamos sim governar para todos, mas vamos ter prioridades e vamos dar mais atenção aqueles que precisam mais da mão do Estado", finaliza.

Heloísa Lazarini