04 de maro de 2021
Campo Grande 32º 22º

Ao negociar delação premiada, ex-deputado cita Aécio e ministros

Ex- presidente do Partido Progressista (PP) e ex-deputado federal por Pernambuco, Pedro Corrêa afirmou ter informações que comprometem ao menos cem políticos, dentre os quais o ministro da Casa Civil Jaques Wagner e ministro da Defesa, Aldo Rebelo. Corrêa está em negociação com a Força Tarefa da Operação Lava Jato e com Procuradoria-Geral da República para acertar acordo de delação premiada. Na lista de nomes apresentada por Corrêa, durante tratativas constam o do senador Aécio Neves (PSDB/MG). 

Pedro Corrêa está em Curitiba, condenado a 20 anos de prisão sob acusação de corrupção e lavagem de dinheiro no esquema da Petrobrás. A sentença aponta recebimento de R$ 11,7 milhões em propina. O ex-deputado federal por Pernambuco já havia sido condenado a sete anos de prisão no processo do Mensalão. Conforme reportagem publicada na Revista“Veja”, em setembro, Pedro Corrêa disse que ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tinha conhecimento de que todos deputados do PP pleiteavam indicações à diretoria da Petrobrás com objetivo de arrecadarem dinheiro para suas campanhas política. Lula negou acusação.

De acordo com Folha de São Paulo, ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, informou por meio de sua assessoria, que desconhece os termos em que foi citado tanto por Pedro Corrêa tanto por  Nestor Cerveró, afirmando que não irá se pronunciar.