25 de maio de 2024
Campo Grande 13ºC

MERCADO | ELEIÇÕES 2022

Após pesquisa, Petrobras anuncia nova baixa no combustível

"Até outubro a Petrobras vai pagar para a gente abastecer", ironizou um internauta

A- A+

Após 3 anos gestão econômica desastrosa que elevaram os preços de combustíveis como a gasolina a até R$ 8, o governo federal, a 50 dias das eleições, anunciou nesta segunda-feira (15.ago.22), uma nova baixa no preço médio da gasolina nas refinarias em 4,85% a partir de terça-feira (16.ago.22).

O valor do litro do combustível às distribuidoras passará, então, de R$ 3,71 reais para R$ 3,53, uma redução de R$ 0,18. Nas bombas, a redução deve ser de R$ 0,13.

O anúncio ocorreu quase que simultaneamente a pesquisa divulgada pela FSB Comunicação nesta 2ª-feira, em que mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com 45% das intenções de voto no 1º turno das eleições presidenciais de outubro. Com isso, Lula derrotaria Jair Bolsonaro (PL) que registra 34%, no 1º turno. Enquanto o petista cresceu 4 pontos percentuais desde o último levantamento – de uma semana atrás –, o chefe do Executivo manteve a pontuação registrada na última pesquisa. Eis a íntegra.  

Internautas passaram a apontar as 'coincidências' entre a divulgação dos bons desempenhos de Lula nas pesquisas e as alterações nos preços.

Após anunciar uma baixa de R$ 0,13 no preço da gasolina nas bombas, diretamente ao consumidor, os internautas reagiram e agradeceram Lula: "Lula em primeiro = preço baixando”.

Esta é a terceira redução nos preços da gasolina em menos de um mês. As outras duas ocorreram nos dias 20 e 29 de julho.

Com a atual política de preços da Petrobrás, que vincula o mercado nacional ao internacional, pautado pelo dólar, os brasileiros ficam à mercê das variações no mercado global para conseguir encher o tanque de combustível. Assim como o preço do mercado internacional permitiu, agora, uma pequena queda após seguidas altas, uma mudança no cenário pode fazer com que o preço volte a subir.

O preço dos combustíveis no Brasil subindo ou descendo, o que não se altera é o lucro exorbitante da Petrobrás, repassado a seus acionistas privados. Na prática, a renda dos brasileiros é sugada por meio da Petrobrás e repassada a seus acionistas.

*Com Brasil 247.