28 de novembro de 2021
Campo Grande 32º 21º

Vereadores cobram mais atitude de Bernal após 60 dias de “novo governo”

A- A+

A apresentação do balanço dos 60 dias de administração do prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) nesta terça-feira (27) deu oportunidade para que os vereadores “engrossassem” o coro em relação a cobranças sobre o prefeito, que retornou ao cargo em 27 de agosto após ser cassado em março de 2014. 

Em sessão desta terça (27), um dos principais oposicionistas do “governo Bernal”, vereador Airton Saraiva (DEM), considerou que o prefeito precisa acelerar os trabalhos para reorganizar a prefeitura, independente do tempo que está à frente do Executivo. “Não estamos contra o prefeito e os seus projetos, mas não vamos ignorar os problemas que nossa cidade vem enfrentando nos últimos dias. Creio que além desses 60, daqui 30 dias será possível fazer uma avaliação mais elaborada, o nosso papel na Casa, é cobrar e vamos continuar cobrando sempre”, diz Saraiva. 

O vereador Paulo Siufi (PMDB) foi mais direto e afirmou que Bernal começou seu governo de forma errada. “Ele começou errado novamente, existe muita confusão, muitos conflitos nos últimos dias, por exemplo, até agora ele não explicou direito por que policiais estiveram presentes na Câmara. Não existe uma harmonia aqui nesta Casa em relação ao prefeito e isso precisa ser construído. Até agora ele não criou uma base, ele está cometendo os mesmos erros do passado, tem que parar de reclamar do passado e agir mais”, afirma Siufi. 

“Sem sustentação”

Um dos nomes mais cogitados para ocupar o lugar de líder na Câmara, vereador Alex do PT, lamentou as tentativas de parcerias com o prefeito em sua “nova gestão”. “Eu me esforcei muito para que o PT fizesse parte do governo do Bernal e isso foi menosprezado por parte do Bernal. Podemos estar passando por momentos difíceis no partido, mas somos uma força política. As secretarias que foram oferecidas não condizem com a força do PT. Sobre sua administração não sei se chamar o exército para tapar buraco é o certo, se prolongar dívidas é o mais correto, não estou com dor de cotovelo, mesmo se fosse líder eu cobraria na hora que tivesse que cobrar e quero manter uma relação de qualidade, só que algumas atitudes do prefeito precisam ser avaliadas”, comenta Alex. 

Chiquinho Telles do PSD lembrou os problemas do lixo nesses 60 dias de administração do prefeito. “Foram 60 dias em que o lixo ficou espalhado pela cidade, risco de fechamento do Cempe, a Câmara faz o seu papel de cobrar, mas é papel do prefeito trabalhar para que esses problemas não afetem a população e sejam eliminados”. Já Carla Stephanini (PMDB) comentou que “Não são 60 dias pacificados como deveriam ser. É preciso ter celeridade para que Campo Grande volte a ter o desenvolvimento que merece”.  

"Defesa"

Como base, o vereador Cazuza (PP), lembrou a situação em que a Prefeitura de Campo Grande se encontrava com a volta do prefeito ao Executivo. “Sabemos que essas situações são difíceis, mas é preciso lembrar o caos financeiro em que a prefeitura se encontrava e se encontra quando Bernal retornou. Nosso município passa por uma situação preocupante, os Ceinfs, as escolas, por isso o prefeito está fazendo cronogramas para dar um “start” e resolver os problemas que nossa Capital precisa, trazendo mais tranquilidade na sua administração e também para a população”, destaca Cazuza. 

O prefeito Alcides Bernal prepara a apresentação dos números em seus 60 dias na Escola de Governo, na Avenida Ernesto Geisel esquina a Rua 26 de Agosto as 15 horas desta terça (27).