18 de abril de 2021
Campo Grande 30º 19º

Carlão pede a Gaeco para agendar 'visita informal e se diz pronto para colaborar'

Embora o vereador Carlão (PSB) negue, o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) confirma que ele esteve na sede do órgão nesta terça-feira (27) com intuito de conversar informalmente sobre andamento da Operação Coffee Break. O Gaeco, no entanto, reforçou, que não é praxe do órgão investigativo agendar visitas informais e que caso Carlão tenha novas informações para acrescentar à investigação, novo depoimento deve ser agendado. 

Carlão, entretanto, diz que não chegou a ir e que aguarda convite do Gaeco para realizar visita, considerada pelo vereador "papo informal" e se disse disposto a colaborar com investigações, embora não tenha adiantado se tem ou não novas informações para acrescentar. 

"Quero pegar algumas informações sobre o andamento das investigações, prazos. Estou pronto para colaborar com as investigações, estou à disposição, eles não me retornaram se será hoje (28) ou amanhã (29). Eu quero ir, mas dependo da agenda deles, pois estão muito corridos”, disse o vereador.

Carlão é um dos nove vereadores da Capital que prestaram depoimento ao Gaeco no dia 25 de agosto. Eles são investigados por envolvimento em suposto esquema de compra de votos para cassar mandato de Alcides Bernal (PP) em março de 2014. Além de vereadores, a Operação Coffee Break também investiga empresário João Amorim, dono da Proteco Construções Ltda, e prefeito de Campo Grande, afastado, Gilmar Olarte. Depois da Coffee Break, a Comissão de Ética da Câmara abriu processo de investigação dos parlamentes alvos da investigação do Gaeco. Nesta segunda-feira (26) terminou prazo de defesa dos vereadores e a Comissão deve definir nos próximos dias se irá convocá-los para oitivas.