25 de maio de 2024
Campo Grande 14ºC

ELEIÇÕES 2022

Carluxo esquece de pagar e perde domínio do site de Jair Bolsonaro

Campanha disse que acionará TSE contra site

A- A+

Desde 25 janeiro, o clã de Bolsonaro já não tinha mais o domínio do site, que foi quando o empresário Gabriel Baggio Thomaz comprou o endereço. De qualquer forma, a página na web apenas mudou seu conteúdo no dia 11 de agosto. Antes disso, a divulgação das ações do governo ainda eram exibidas lá. Com a transformação recente, o que servia para enaltecer Bolsonaro se tornou uma galeria de sátiras e críticas ao seu mandato, apresentando pela primeira vez, conteúdos verdadeiros sobre os bolsonaros.  

O primeiro texto que aparece logo na capa do site é “Ameaça ao Brasil” e a foto de destaque é uma caricatura de Hitler com o rosto de Bolsonaro, que tem um exército de gados. Seguindo adiante surge em letras grandes a seguinte sentença: “Bolsonaro nunca escondeu que é autoritário. Em suas três décadas como político, ele sempre apoiou a violência, a estupidez, e a quebra da ordem democrática.”

(crédito: Reprodução/Bolsonaro.com.br)Crédito: Reprodução/Bolsonaro.com.br

Depois, o site apresenta algumas exposições com subtítulos. O primeiro deles é “A ascensão do neofascismo ameaça todo o mundo” e então segue demonstrando como a estratégia bolsonarista acompanha o manual neofascista para enfraquecer a democracia.“O bolsonarismo persistirá. A batalha contra o neofascismo deve continuar. Resistiremos, e venceremos".  

O subtítulos seguintes aparecem para justificar o que faz do governo atual um governo neofascista. E todo o corpo do site é acompanhando com sátiras como essa:

lobomed

O SITE

É possível saber que o site realmente pertenceu aos bolsonaros ao consultar o site Wayback Machine, que grava versões de páginas publicadas na internet, até pelo menos abril de 2021, o site tinha informações de ações do governo, a biografia do presidente e links para as redes sociais do chefe do Executivo.

Desde 29 de agosto, o domínio exibe um conjunto de textos que criticam, entre outros tópicos: a atuação do governo durante a pandemia, ameaças à democracia, o perfil autoritário de Bolsonaro, indica indícios de corrupção, denuncia a disseminação de fake news, a atuação das Forças Armadas e os questionamentos do chefe do Executivo sobre o sistema eleitoral para tentar evitar sua aventada derrota nas urnas. 

Os textos contêm hiperlinks que direcionam o leitor para reportagens divulgadas ao longo do governo por veículos brasileiros e internacionais.

Na aba de contato, ao clicar no símbolo do Instagram, o hiperlink direciona o usuário para um perfil fechado com 102 seguidores – até a manhã desta 4ª feira (31.ago). No símbolo do Twitter, o link direciona para uma página com 167 seguidores. Nas duas plataformas de redes sociais, o usuário é o mesmo “@vlwbjsflw” , assim como a foto de perfil, que exibe uma pomba branca. 

No site também há um contador de horas que indica quantos dias faltam para o fim do governo de Jair Bolsonaro

REAÇÃO 

A equipe de campanha de Jair Bolsonaro (PL) deve apresentar nesta 4ª feira (31.ago.2022) uma representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para derrubar o site: "www.bolsonaro.com.br". 

A área jurídica da campanha do presidente também quer apresentar uma interpelação na Justiça comum. O objetivo, além de tirar a página do ar, é processar o responsável e pedir indenização.