15 de agosto de 2020
Campo Grande 35º 22º

Chapa branca entre Delcídio e Azambuja encontra resistência entre os deputados petistas

Os deputados estaduais petistas estão decididos a obedecer a ordem do diretório nacional que proíbe alianças com o PSDB, DEM e PPS. Essa resistência da bancada sul-mato-grossense atrapalha os planos do senador e pré-candidato ao governo do Estado, Delcídio do Amaral (PT) em fazer uma “chapa branca” com o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB). “Vai ser difícil convencer o diretório nacional. Temos que obedecer a resolução do partido, pois é desgastante eleger alguém que vai fazer oposição”, declarou o deputado Pedro Kemp (PT).

O parlamentar Amarildo Cruz (PT) ainda brinca que prefere uma “chapa preta” e alega que as alianças devem ser reais, declaradas no papel. “Acho que o PT tem que se preocupar com a própria candidatura e buscar os seus aliados tradicionais, como PV e PROS, além de buscar outros como o PDT. Não precisamos de alianças com o PSDB nem com o PMDB. Precisamos fortalecer a nossa candidatura”, defendeu.

Já o deputado Laerte Tetila protelou a decisão final para o ano que vem. Segundo ele, é preciso ouvir as bases do partido antes de tomar qualquer posicionamento. “Não posso responder ainda. Não coligar com o PSDB é uma resolução tomada pelo partido em nível nacional, mas essas coisas não são definitivas. Com as eleições dos diretórios do PT as coisas começam acelerar e o quadro político fica mais definido. As novas presidências tem a tarefa de intensificar o debate e entrar em sintonia com a militância e as bases”, afirma.

 Anteriormente o presidente regional do PSDB, deputado Márcio Monteiro, também declarou que é contra a essa composição. “Acho que as alianças com o PSDB tem que ser formalizadas dentro da lei”, disse.

Diana Christie