17 de abril de 2024
Campo Grande 22ºC

ELEIÇÕES 2024

Com ausência de divergentes, PT reafirma Camila Jara pré-candidata

Zeca e Vander tem afirmado que melhor estratégia seria apoiar a candidatura 'frente ampla'

A- A+

O Partido dos Trabalhadores (PT) reafirmou, na 2ª feira (19.fev.24), a pré-candidatura da deputada federal Camila Jara ao Executivo campo-grandenses nas eleições 2024.

A deputada considerou que a escolha de seu nome está conectada com o avanço da democracia na política. "A política está se tornando mais democrática. A gente caminha para isso. É só olhar para essa mesa. Há algum tempo a gente não via projetos sendo lançados com tanta pluralidade. Isso é extremamente importante, porque a sociedade é mais de um perfil, e a gente teve por muito tempo um perfil no campo político e isso nos trouxe vários problemas que não conseguimos superar até agora", declarou Camila, numa coletiva à imprensa, na sede do partido.

(19.fev.24) - A deputada federal Camila Jara. Foto: Tero Queiroz (19.fev.24) - A deputada federal Camila Jara. Foto: Tero Queiroz 

Na ocasião do anúncio, estavam presentes os vereadores petistas Ayrton Araujo e Luiza Ribeiro; o presidente do PT municipal, Agamenon do Prado; o presidente estadual do PT, Vladmir Ferreira; a ex-candidata ao governo Giselle Marques e a representante do Coletivo Municipal de Mulheres do PT, Romilda Pizani. 

Divergentes da candidatura de Camila, não estavam na reunião duas grandes lideranças do PT sul-mato-grossense: o Deputado Federal Vander Loubet e o deputado estadual Zeca do PT. Ambos teriam mandado representantes ao evento. Também faltou a coletiva, o deputado estadual Pedro Kemp.  

Vamos lembrar que Zeca e Vander tem afirmando em consonância que a melhor estratégia para o PT na Capital sul-mato-grossense seria apoiar uma candidatura 'frente ampla' (que reúne diversas ideologias). E nesse perfil, em MS, ambos os petistas citaram o nome da professora Rose Modesto, atualmente nomeada como chefe da Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) no governo do presidente Lula, como já mostramos aqui no MS Notícias.  

Na coletiva, à mesa figuras políticas petistas sinalizaram à reportagem que a primeira 'campanha' a ser vencida por Camila já está em curso dentro da sigla. A própria pré-candidata, apontou que 'Vander e Zeca' vão entender: “O companheiro Zeca é muito valoroso e eu espero que assim como eu fiz a campanha dele em 1996 com apenas 1 ano de idade, que ele ande nas ruas de Campo Grande comigo e com todo esse apoio, que a gente sabe que ele tem, para estar com a gente. Sabemos que todo debate deve ser feito de maneira incansável, mas a direção do partido já tomou esse posicionamento e sabemos que eles [Vander e Zeca] nunca fugiram a nenhuma batalha e não devem fugir dessa”, argumentou Camila, na esperança de conquistar a dupla petista.  

Por outro lado, lideranças locais como Agamenon e Vladmir sustentaram que as discussões para o primeiro turno estão encerrradas: "Será Camila e pronto. Essa é a decisão do partido!". 

(19.fev.24) - Anúncio da pré-candidatura de Camila Jara a prefeitura de Campo Grande. Foto: Tero Queiroz(19.fev.24) - Anúncio da pré-candidatura de Camila Jara a prefeitura de Campo Grande. Foto: Tero Queiroz

Sob anonimato, figuras do baixo clero anti-Camila afirmaram à reportagem que os presidentes do partido no Estado e Capital de MS estão: "Pensando mais nos recursos que entram no caixa do partido quando há um candidatura própria do que na campanha em si. Não estão olhando para o projeto do governo federal. Não consideram a viabilidade", defenderam.  

Se essa primeira campanha de Camila — a interna — for exitosa, o PTMS terá pela primeira vez em sua história uma candidatura jovem à prefeitura e, ao mesmo tempo, será a oportunidade para testar a performance de uma candidatura digital frente às candidaturas analógicas, numa das capitais em que a sigla enfrenta forte rejeição.