13 de junho de 2021
Campo Grande 25º 11º

Com salário de R$ 33 mil, deputado beneficiado por cotas se diz merecedor

A- A+

O deputado federal Geraldo Resende (PMDB-MS) procura demonstrar que não se abalou com as críticas que vem recebendo por ter sido beneficiado pelo sistema de cotas para ser incluído na primeira chamada do processo seletivo para fazer o curso de Direito da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

O Ministério da Educação obriga universidades e institutos federais a reservar 25% de suas vagas para alunos egressos do ensino publico. Metade dessas vagas é de outra reserva, destinada a quem possui renda mensal familiar até um salário mínimo e meio. Médico de profissão e em seu terceiro mandato na Câmara dos Deputados, Resende ganha em torno de R$ 26,3 mil, porém com o reajuste aprovado pela Casa a remuneração mensal de cada parlamentar será superior a R$ 33 mil a partir do próximo ano, fará jus.

Para os juristas, a questão não se detém no viés moralista, pois a Constituição, de princípios universalistas, estabelece a igualdade de direitos para todos. E é este um dos argumentos do deputado peemedebista, que, no entanto, prefere concentrar-se na própria meritocracia. Lembra que vem de infância humilde e sempre estudou em escola pública, razão pela qual adquiriu o direito de pleitear seu lugar na Universidade.

Nas mídias sociais Resende recebeu críticas, mas também foi defendido por internautas, especialmente de sua base eleitoral, a Grande Dourados. Os críticos observam que mesmo tendo estudado em escola pública, hoje a remuneração de deputado, somada à de médico, fornece renda mensal suficiente para pagar uma instituição privada e assim deixaria de ocupar um lugar que poderia estar disponível a estudantes mais necessitados.

Resende comemorou a convocação postando esta manifestação: “Quero dividir com todos os amigos do Facebook minha alegria pela aprovação em Direito, no Vestibular 2015 da UFGD – Universidade Federal da Grande Dourados. Mais uma vitória que atribuo à sólida formação que obtive por ter sido aluno da Escola Estadual Presidente Vargas, onde cursei os atuais ensino fundamental e médio. Nunca é tarde para adquirir novos conhecimentos e conquistar novos horizontes... curso de Direito em 2015... lá vamos nós”.

Edson Moraes