05 de maro de 2021
Campo Grande 28º 21º

Delator diz ter ouvido de Youssef que dinheiro entregue por ele era para Renan Calheiros

Leia também

• Meta da Lava Jato para 2016 é aumentar acusações e fechar cerco contra empresas do exterior

• Delator aponta propina para Aécio de R$ 300 mil

Delator Carlos Alexandre de Souza Rocha, 52 anos, afirmou em depoimento à Lava Jato ter ouvido do doleiro Alberto Youssef em alto e bom som que valor de R$ 1 milhão entregue por ele em Maceió (AL) tinha como destinatário o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Segundo Rocha, ele recebeu orientação de Youssef de viajar até Recife (PE) onde de se encontrou com um homem, descrito por ele como “nervoso” e “arrogante”, que lhe repassou quantia de R$ 500 mil. Ao receber apenas metade do valor combinado, Rocha diz ter ligado pra Youssef que disse a ele que fosse entregar quantia urgentemente em Maceió.

Na capital de Alagoas, o delator entregou dinheiro a um homem de aparência ente 35 e 40 anos, “bem vestido” e “elegante”, a quem ele já teria entregue valores em outra ocasião em Curitiba (PR).

Ainda em depoimento, o delator afirmou que entre anos de 2009 e 2014 durante Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, Youssef disse que entregaria entre R$ 1 milhão e R$ 2 milhões para Renan. Rocha diz ter questionado o doleiro sobre motivo da propina já que Renan era da base governista, e resposta de Youssef teria sido, segundo Rocha, “tem que ter dinheiro pra resolver.”

O advogado do presidente do Senado, em entrevista à imprensa, negou as informações e as declarações são “de uma inconsistência absoluta”.