21 de janeiro de 2021
Campo Grande 28º 21º

Delcídio afirma que denúncias de adversários se voltarão contra os mesmos

O senador Delcídio do Amaral afirmou na manhã de hoje, em entrevista ao programa de rádio Tribuna Livre da FM Capital, que seus adversários políticos que tentam desgastar sua imagem utilizando os recentes escândalos da Petrobrás, "irão dançar, pois o eleitorado sul-mato-grossense já não é mais um curral". Delcídio voltou a esclarecer que em 2002 quando houve a compra da refinaria de Pasadena, no Texas (USA), ele já não pertencia mais à Petrobras, pois já havia sido eleito senador pelo PT-MS. Segundo o pré-candidato do PT ao governo do Estado, o anseio dos adversários políticos em antecipar a campanha pode acabar se voltando contra eles mesmos. "Eles estão fazendo a velha política que o povo não quer mais, e se for para puxar a capivara de muita gente por aí (adversários políticos) há denúncias que são difíceis de explicar. Se forem discutir baixarias, o outro lado tem mais a perder do que nós", afirmou Delcídio.O senador aproveitou para reafirmar sua intenção em se aliar ao deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) e dar um fim definitivo para a novela que se estende desde o ano passado e deve terminar na próxima quarta-feira, dia 30, prazo estipulado pelo PSDB para que o PT formalize a aliança. Embora se diga ciente do prazo, Delcídio nega que o impasse seja exclusivamente por parte do PT. "Se você ler uma matéria do jornal O Estado de São Paulo, a informação é de que é o PSDB quem está travando a aliança aqui no Estado", explica. Diante do cenário de dúvidas, Delcídio, ao contrário do que membros da liderança estadual do partido afirmaram ao longo da última semana, admite que o PT possui um plano. Embora não revele detalhes, o senador esclareceu que tal plano, na verdade, sempre existiu. "Quando se trata de um assunto como esse (eleição 2014) contamos com todos os cenários possíveis e elaboramos as estratégias adequadas para cada um desses cenários", admite o senador. Heloísa Lazarini