16 de setembro de 2021
Campo Grande 32º 21º

Delcídio dá 'contragolpe' e se revolta com novas acusações na Lava Jato ‘É absurdo e estranho’

A- A+

As investigações da Lava Jato continuam incomodando muitos políticos e dessa vez quem está com a ‘cabeça quente’ é o senador Delcídio do Amaral (PT). Segundo o delator da Operação Lava Jato Fernando Baiano citou o nome de mais um parlamentar como beneficiário do esquema, onde Delcídio teria recebido propina quando a Petrobras comprou a refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

Ele disse que "ouviu dizer", que Delcídio teria recebido propina quando era diretor de Gás e Energia da Petrobras, de 2000 a 2002. Ele contou que Delcídio recebeu US$ 1 milhão ou US$ 1,5 milhão, no dinheiro desviado do contrato da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. O delator disse que o dinheiro foi repassado para pagar a campanha de Delcídio ao governo do Mato Grosso do Sul, em 2006.

Sem provas
Em março, o Supremo Tribunal Federal não viu motivos para investigar o senador Delcídio Amaral, do PT do Mato Grosso Sul, e arquivou o caso em que o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa citou Delcídio na delação. As revelações estão sendo investigadas por delegados e procuradores. 

O senador Delcídio do Amaral se pronunciou por meio de nota oficial publicada em seu site e em sua página em uma rede social na noite desta sexta-feira (16), onde apontou “absurda” a citação do seu nome em uma nova deleção da Operação Lava Jato, onde é citado que teria recebido propina na compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

Confira na íntegra
1 - Além de absurdo é muito estranho que meu nome tenha sido novamente citado nessa investigação, colocado numa época em que eu era considerado “persona non grata” por todos que estavam sendo investigados pela CPMI dos Correios, cuja presidência exerci exatamente nesse período (2005/2006).
2 - Fui apresentado ao senhor Fernando Soares, na década de 90 pelo empresário Gregório Marin Preciado, e, depois dessa época, nunca mais o vi nem tive nenhum tipo de contato com o mesmo.
3 - Lembro que a própria Procuradoria Geral da República solicitou ao STF (e foi atendida) o arquivamento de procedimentos onde meu nome foi citado no âmbito dessas investigações.
Delcídio Amaral
Senador (PT-MS)