19 de maio de 2024
Campo Grande 19ºC

CASA DE LEIS

Derrotando bolsonaristas, Gerson Claro é eleito presidente da Alems

Ala da extrema direita não conseguiu emplacar cargos de gerência na Casa de Leis sul-mato-grossense

A- A+

O deputado estadual Gerson Claro Dino (PP), de 55 anos, foi eleito chefe da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (Alems) na manhã desta 4ª.feira (1º.fev.23). Claro derrotou a chapa do bolsonarista Rafael Tavares (PRTB) de maniera avalassaladora. Dos 24 deputados da Alems, apenas Tavares não votou em Claro. Até mesmo os colegas bolsonaristas de Tavares não votaram nele.

Casa de Leis estava lotada, por isso, muitso tiveram que assistir a sessão de posse e eleição da Mesa Diretora, por meio de numa TV colocada no hall da ALEMS. Foto: Tero Queiroz Casa de Leis estava lotada, por isso, muitas pessoas tiveram que assistir a sessão de posse e eleição da Mesa Diretora por meio de numa TV colocada no hall da ALEMS. Foto: Tero Queiroz 

Os deputados votaram de forma nominal e aberta. Eis a relação:   

Votaram em Gerson Claro para presidente da

  • Londres Machado (PP)
  • Gerson Claro (PP)
  • Pedro Caravina (PSDB)
  • Jamilson Lopes Name (PSDB)
  • Lia Nogueira (PSDB)
  • Mara Caseiro (PSDB)
  • Amarildo Cruz (PT)
  • Zeca do PT
  • Júnior Mochi (MDB)
  • Márcio Fernandes (MDB)
  • Renato Câmara (MDB)
  • Coronel David (PL)
  • João Henrique Catan (PL)
  • Neno Razuk (PL)
  • Lucas de Lima (PDT)
  • Lídio Lopes (Patri)
  • Antônio Vaz (Republicanos)
  • Professor Rinaldo (Podemos)
  • Pedro Pedrossian Neto (PSD)
  • Roberto Hashioka (União Brasil)
  • Pedro Kemp (PT)
  • Zé Teixeira (PSDB)
  • Paulo Corrêa (PSDB)

Votaram em Rafael Tavares para presidente

  • Rafael Tavares (PRTB)

Além de Claro, comporão a Mesa Diretora na 12ª Legislatura, Renato Câmara (MDB) como primeiro vice-presidente, Zé Teixeira (PSDB) como segundo vice-presidente, Mara Caseiro (PSDB), como terceira vice-presidente e Lucas de Lima (PDT) como terceiro secretário.

Em seu discurso de posse, Claro homenageou o mais antigo deputado em exercício, Londres Machado, parlamentar ao qual Claro deu o título de conselheiro. Londres Machado foi um conselheiro, um amigo e não posso deixar de honrá-lo a sabedoria que nos transmitiu", afirmou.

Londres Machado sentado, o presidente da ALEMS Gerson Claro, de pé. Foto: Luciana Nassar / Wagner GuimarãesLondres Machado sentado, o presidente da ALEMS Gerson Claro, de pé. Foto: Luciana Nassar / Wagner Guimarães

O pepista disse que inicio com disposição redobrada para estar à altura do comando do Parlamento e dos anseios e desafios da população. "Com o compromisso inegociável com a democracia. No regime de respeito aos direitos individuais e plena liberdade do contraditório, submetido ao Regimento Interno e vontade soberana do Plenário. Virtudes da moderação, espírito da conciliação. Respeito às diferenças, legitimidade das críticas construtivas. Cada um dos senhores deputados serão considerados e tratados como autênticas lideranças. Espero que este Plenário acolha as demandas do povo, para elevar o nível de qualidade de vida da nossa população”, discursou o presidente Gerson Claro. Ele relembrou dos desafios para o desenvolvimento do Estado e disse que o Parlamento vai continuar colaborando para isso. “Ainda há muito que fazer”, considerou.

OUTROS CARGOS 

O ex-presidente da Alems, o tucano Paulo Corrêa, conseguiu 19 votos e vai comandar o orçamento milionário da Casa de Leis neste ano de 2023. Para isso, ele derrotou o bolsonarista João Henrique Catan (PL) que conseguiu apenas 5 votos. Além da bancada do PL, que tem três deputados, votaram nele Lídio Lopes (Patri) e Rafael Tavares (PRTB).

Paulo Corrêa conversa com o governador Eduardo Riedel na última sessão presidida pelo tucano nesta 4ª.feira (1.fev.23). Foto: Tero Queiroz Paulo Corrêa conversa com o governador Eduardo Riedel na última sessão presidida pelo tucano nesta 4ª.feira (1.fev.23). Foto: Tero Queiroz 

Já a disputa na segunda secretaria teve placar com diferença maior. Pedro Kemp (PT) recebeu 16 votos contra oito do  bolsonarista Coronel David (PL). Além dos amigos de bancada, votaram no militar aposentado: Antônio Vaz (Republicanos), Rinaldo Modesto (Podemos), Pedro Pedrossian Neto (PSD), Roberto Hashioka (União Brasil) e Rafael Tavares (PRT).

Votaram em João Henrique para primeiro secretário

  • Coronel David (PL)
  • João Henrique Catan (PL)
  • Neno Razuk (PL)
  • Lídio Lopes (Patri)
  • Rafael Tavares (PRTB)

Votaram no Coronel David para segundo secretário

  • Coronel David (PL)
  • João Henrique Catan (PL)
  • Neno Razuk (PL)
  • Antônio Vaz (Republicanos)
  • Professor Rinaldo (Podemos)
  • Pedro Pedrossian Neto (PSD)
  • Roberto Hashioka (União Brasil)
  • Rafael Tavares (PRTB)
Bancada do PT na ALEMS. Da esquerda para a direita os deputados: Pedro Kemp, AMarildo Cruz e Zeca do PT.