19 de maio de 2024
Campo Grande 18ºC

INTERIOR

Diretor de Hospital público xinga eleitores de Lula e ameaça: "Vai morrer", diz site

Indivíduo acusado é diretor de hospital no interior de MS

A- A+

O médico Ygor José Saraiva Carvalho Silva (CRMMS -7963), teria afirmado, segundo o site Nova Fogo, que não atenderia pacientes petistas. Diretor clínico do Hospital Regional de Nova Andradina, no interior do Mato Grosso do Sul, ele afirmou em áudio que foi vazado, que quem “votar em bandido têm de tomar no c*”.

O médico clínico supostamente fez as ameaças em 30 de outubro, 2º turno das eleições. 

“Votar no Lula e chegar lá no hospital vai morrer por que eu não vou ajudar”, teria dito o médico em um áudio atribuído à ele.

O hospital em que atua afirmou ter recebido uma denúncia e enviado o conteúdo para o setor jurídico. O Conselho Regional de Medicina do Mato Grosso do Sul (CRM-MS ) diz não ter recebido nenhuma denúncia formal, mas promete abrir sindicância para apurar os fatos.

Os áudios são esses:  

MS Notícias · Diretor de Hospital, médico bolsonarista ameaça deixar morrer "eleitores de Lula"

MS Notícias · Diretor de hospital bolsonarista faz ameaças em MS
 

 

O QUE DIZ O ACUSADO

“Eu nunca deixei ninguém sem atendimento médico independente de cor, raça, gênero e opção política, meu trabalho fala por mim e sempre vai falar, pois desde que me formei sempre dei o melhor de mim para com meus pacientes. Se alguém quiser pensar ou achar ao contrário, só me acompanhar ou pegar os meus atendimentos. E sobre esses áudios se são meus, a única resposta que posso dar e p pessoa q tiver alguma dúvida do meu serviço. Puxar a minha história como médico. E tenha ctz que nunca fiz distinção de nenhuma pessoa q me procurou tanto no meu período de serviço e até mesmo nos meus dias de folga. Faço meu trabalho da melhor forma possível, vou continuar cada vez me empenhando mais, não faço e nunca vou fazer distinção de ninguém”.

AÇÕES NO MP

O Ministério público do Mato Grosso do Sul, por intermédio da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Nova Andradina, seguindo todas as disposições e requisitos da lei, instaurou um inquérito civil para promover a coleta de informações, depoimentos, certidões, perícias e demais diligências para apurar os fatos relacionados ao vazamentos de áudios do médico clínico geral, Dr. Ygor José Saraiva. Pois tal fato vai contra os princípios de administração pública, ferindo os deveres de imparcialidade e legalidade, além de violação aos princípios da legalidade, impessoalidade e moralidade pública.

O médico tem até 10 dias para prestar esclarecimento dos fatos. A diretoria da FUNSAU (Fundação Serviços de Saúde do Mato Grosso do Sul) também deve adotar providências em relação ao servidor público neste mesmo prazo. E o CRM (Conselho Regional de Medicina), deverá apurar eventual infração ético disciplinar.

O procedimento foi instaurado hoje, dia 03, após o veículo de comunicação, Nova Fogo, noticiar o envolvimento anti ético, através de falas, do médico contra eleitores do candidato eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (Lula).

FONTE: NOVA FOGO