27 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 23º

Edil afirma que esclarecimentos do dono da Salute não foram satisfatórios

O vereador Edil Albuquerque (PMDB) afirmou à imprensa que não ficou satisfeito com os esclarecimentos prestados por Érico Chezini, proprietário da empresa Salute distribuidora de alimentos. Edil que é presidente da Comissão responsável por investigar possíveis irregularidades na administração do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), alegou que pouca coisa do que foi dito por Érico foi relevante.

“As respostas não foram satisfatórias porque só ficaram no sim e no não, construtivo mesmo foram poucas coisas, mas de qualquer forma faremos o cruzamento das informações e analisaremos”, disse o presidente da Comissão demostrando sua insatisfação com as declarações de Érico.

A Salute foi contratada pela  prefeitura de forma emergencial e sem licitação para fornecer alimentos aos Ceinf´s (Centros de Educação Infantil). O valor desembolsado pela administração foi de R$ 4,3 milhões.

Entre os diversos escândalos envolvendo a empresa de Érico Chezini está a denúncia da baixa qualidade da carne. De acordo com relatos o produto estaria sendo entregue com forte odor nos centros de educação. Em defesa à sua empresa Érico se explicou. “Até agora não foi apurado nada em relação ao mau cheiro e má qualidade da carne, até porque se tivesse realmente acontecido a empresa receberia uma notificação, o que não ocorreu até agora”.

Outro ponto intrigante no depoimento do empresário foi referente a prestação de serviços para outras empresas. Questionado pelo vereador e relator da Comissão Flávio César (PT do B) se a empresa havia sido criada para prestar serviços somente para prefeitura, Érico negou, porém, afirmou que até o momento a única o único contratante da Salute havia sido a prefeitura de Campo Grande.

Clayton Neves e Alan Diógenes