25 de maio de 2024
Campo Grande 13ºC

ELEIÇÕES 2022

Em MS, André Puccinelli lidera e Lula encosta em Bolsonaro

Riedel, Marquinhos e Rose estão 'embolados' disputando o 2º lugar

A- A+

André Puccinelli (MDB) lidera a corrida para ser o próximo governador de Mato Grosso do Sul. É o que mostra a pesquisa do Instituto Novo Ibrape, divulgada em 4 de agosto. No levantamento, o emedebista detém 23,8% dos votos nas eleições de 2022. A íntegra. 

Todos os cenários dessa pesquisa são estimulados: quando os nomes dos candidatos são apresentados ao entrevistado.  

Em 2ª colocação, está o ex-prefeito de Campo Grande, candidato ao governo do PSD, Marquinhos Trad. Ele detém 17,8% dos votos. Em seguida, em 3º lugar, está o tucano Eduardo Riedel, com 14,3% dos votos. Ele está tecnicamente empatado com a professora Rose Modesto (União Brasil), ela detém 14,1% dos votos. Se considerada a margem de erro é de 2% (p.p), com intervalo de confiança de 95%, Marquinhos Trad também está empatado com Rose e Riedel, o trio, numa disputa apertada pelo 2º lugar. O gráfico: 

A candidata do PT, Giselle Marques conquista 1,7% dos votos. Na lanterna, o candidato do PSOL, Adonis Marcos, com 0,1% de impressões. 11% do eleitorado está indeciso e 9,2% não vão votar em nenhum dos candidatos apresentados ao governo. 

Um dado importante revelado pela pesquisa Ibrape, é o índice de rejeição de cada candidato. Os candidatos que lideram são os mais rejeitados respectivamente, porém, mesmo estando embolando no segundo lugar, Eduardo Riedel tem um baixíssimo índice de rejeição, o que pode pesar em seu favor. O gráfico: 
Além disso, pesa a favor de Riedel a boa avaliação da atual gestão de Reinaldo Azambuja, seu padrinho político. Conforme a mostra, Azambuja conquista "ótimo/bom", de 45,4% dos entrevistados. 25,2% consideram o governo "regular de maneira positiva". 12,9% consideram a gestão Azambuja "regular de maneira negativa". Apenas 16,9% consideram a gestão estadual "ruim/péssima". 2,3% não responderam. O gráfico:   

SENADO 

A ex-ministra da Agricultura, Tereza Cristina (PP) lidera a corrida eleitoral para assumir a única vaga para Senadora por Mato Grosso do Sul nas eleições de 2022. Ela detém, segundo o Ibrape, 30,2% dos votos. Seguida pelo ex-juiz Odilon de Oliveira (PSD), que detém com 19,7% das intenções de voto. O ex-minsitro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (União), conquista 9,8% do eleitorado, conforme a amostragem. Sérgio Harfouche e o professor Tiago Botelho, detém respectivamente, 4,4% e 4% dos votos. Anizio Tcchio não pontuou. O gráfico: 

É importante observar a dificuldade o índice de rejeição que está esvaziado. 45,3% do eleitorado sul-mato-grossense não sabe opinar sobre quem eles rejeitam ao senado. Outros 17% não rejeitam nenhum dos nomes, isso é, dando possibilidade para uma surpresa nas urnas. O gráfico: 

PRESIDENTE

A pesquisa também revela que Lula (PT) diminuiu a vantagem de Jair Bolsonaro (PL) no estado, considerado um ‘curral eleitoral’ do mandatário. A Ibrape mostra Bolsonaro com 39,5% dos votos de MS, enquanto Lula conquista 35,8% dos votos; o mandatário tem uma vantagem de 2,3%, se considerada a margem de erro de 2 (p.p).

Para presidente, em 3º lugar, o eleitorado sul-mato-grossense vota em Simone Tebet (MDB), com 7,3%, seguida de Ciro Gomes (PDT), 4,8%; em 4ª colocação está o advogado André Janones (Avante), com 2,2%; em 5º lugar está o coach Pablo Marçal (Pros), com 0,4% e Felipe d'Avila (Novo), que detém 0,2% dos votos. 3,4% não votarão em nenhum e 6,4% disseram que ainda estão indecisos. 

Apesar de Janones ter sido colocado na pesquisa, no dia 4 de agosto — data da divulgação — ele renunciou à disputa para apoiar a candidatura de Lula. A senadora sul-mato-grossense Soraya Thronicke não foi colocada na pesquisa, pois foi anunciada como candidata em 5 de agosto, último dia do prazo para oficialização de candidaturas. Thronick substituiu Luciano Bivar, presidente nacional do União Brasil

A pesquisa mostra que Lula e Bolsonaro são rejeitados de maneira semelhante em MS, em contraponto, a suas 1ª e 2ª colocações. Dentro da margem de erro, cada um deles é rejeitado por 34% do eleitorado sul-mato-grossense. 

DADOS DA PESQUISA

De acordo com a mostra, foram realizadas 2,1 mil entrevistas em 28 municípios de MS de 29 de julho a 3 de agosto. A íntegra dos locais de pesquisa.  

Os entrevistados eram eleitores maiores de 16 anos que foram abordados "face a face" em pontos de fluxo e domicílios, e apresentados aos questionários. A íntegra das perguntas.  

A pesquisa custou R$ 18 mil que foram pagos pelo CNPJ- CNPJ: 42098826000185, da empresa Nova Ibrape Pesquisas de Opinião Pública Ltda. A íntegra dos custos.  

À Justiça Eleitoral de MS, o Instituto confirmou que faria análise de percentuais de votos para os cargos de Governador e Senador sob o número MS-02567/2022 assinando como responsável o estatístico Ivan Ferreira Domingues, conforme apurado pelo MS Notícias. A íntegra do edital de aviso de pesquisa.  

O estatístico Ivan também foi responsável pelo levantamento que indicou qual dos candidatos lidera para o cargo de presidente na opinião do eleitorado sul-mato-grossense. Nesse caso, a pesquisa foi registrada sob o número BR-00672/2022, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A íntegra do edital de aviso de pesquisa.