07 de maro de 2021
Campo Grande 30º 20º

ALIMENTAÇÃO DO PLANALTO

Governo se "lambuza", nega auxílio emergencial ao povo, mas gasta milhões em doces

Produtos mais caros como carne, geraram gasto de mais de 238,496 milhões aos cofres públicos em 2020

O governo federal gastou em 2020 R$ 1,8 bilhão com alimentação. O valor subiu 20% em relação a 2019. Já se sabia que os bolsonaros não lidavam bem com dinheiro público, mesmo quando valores muito menores entravam em suas contas, como o salário de servidores da Assembleia Legislativa do Rio, por exemplo. Apesar de Bolsonaro negar a extensão do auxílio emergencial aos brasileiros que sofrem os impactos da pandemia, o presidente não economiza para manter seus gastos com um hábito que parecia inofensivo, mas que agora gera milhões em gastos aos cofres públicos.  

Em 2018, na cerimônia da chegada de Jair Bolsonaro (então PSL) ao posto máximo da República, havia no cardápio do Palácio da Alvorada uma receita inusitada: o pão francês recheado com leite condensado. Passados 2 anos, uma lista nada econômica, revela a paixão do presidente por doces, em especial por leite condensado.  

Numa reportagem do Jornal Metrópoles, o que chama atenção é quantidade que foram gastos com produtos relativamente baratos. O governo bolsonarista, gastou somente em goma de mascar (chiclete), mais de R$ 2,203 milhões dos cofres públicos. E, dado o gosto pela produto, gastou mais de R$ 15,641 milhões com leite condensado. 

O Governo gastou ainda mais de R$ 24,221 milhões com achocolatados e derivados de cacau. Com doces, os bolsonaristas gastaram mais de 67,075 milhões. E também gastou mais de 15,937 milhões dos cofres para pagar açúcar. 

Gastou 27,562 milhões comprando água mineral natural. Curiosamente torrou mais de 1,042 milhões em alfafa. Torrou outros 1,829 milhões comprando alho poró in natura. Os bolsonaristas gastaram 4,445 milhões somente com amendoim.

Apesar de o arroz estar bem caro durante o governo Bolsonaro, a gestão gastou apenas pouco mais de 7,699 milhões comprando o produto, mas em revés gastou mais que o dobro comprando batata frita embalada (torrou mais de 16,582 milhões com as batatas).  

A lista destacada se baseia em dados oficiais obrigatoriamente disponibilizado no Painel de Compras Federal. Na lista estão lotes apenas com declarações de valores acima de 1 milhão, em sua grande maioria. Até mesmo alimentos simples como o caso do sal saíram a preços ironicamente 'salgados': o Governo gastou mais de R$ 18,530 milhões para adquirir sal. Isso daria, por cima, para comprar mais de 8,618 milhões de quilos de sal (sim - toneladas). 

Já com os produtos de valores mais altos no mercado, o caso da carne, os bolsonaristas gastaram em 2020, mais de 238,496 milhões de reais dos cofres públicos. 

EIS A LISTA COMPLETA DOS GASTOS DOS BOLSONARISTAS NO PLANALTO:  

  • Abóbora in natura - R$ 6.810.263,16
  • Acelga in natura - R$ 2.332.776,50
  • Achocolatado - R$ 14.248.351,17
  • Açúcar - R$ 15.937.612,64
  • Adoçante - R$ 12.006.603,45
  • Água coco - R$ 4.554.463,67
  • Água mineral natural - R$ 27.562.716,96
  • Aipim in natura - R$ 8.601.350,02
  • Alfafa - R$ 1.042.974,22
  • Alho poró in natura R$ - 1.829.259,98
  • Amendoim torrado - R$ 4.445.479,04
  • Amido - R$ 5.196.544,72
  • Arroz - R$ 7.699.410,50
  • Aveia - R$ 5.581.691,40
  • Azeite Oliva - R$ 15.843.244,25
  • Azeitona - R$ 12.692.355,14
  • Bacon defumado - R$ 7.189.504,72
  • Barra cereal - R$ 13.445.118,52
  • Batata frita embalada - R$ 16.582.463,23
  • Bebida láctea - R$ 8.957.431,60
  • Bebidas não alcoólicas - R$ 2.673.755,99
  • Bertalha in – natura - R$ 1.280.282,70
  • Biscoito - R$ 50.149.168,18
  • Bolo alimentício - R$ 18.130.975,94
  • Bombom - R$ 8.866.958,69
  • Café - R$ 14.598.225,37
  • Calda doce para recheio/cobertura - R$ 3.262.405,02
  • Canjica - R$ 3.842.863,38
  • Carne bovina in natura - R$ 89.636.543,25
  • Carne de ave in natura - R$ 51.517.015,80
  • Carne defumada - R$ 17.330.868,79
  • Carne processada - R$ 22.835.204,29
  • Carne salgada - R$ 22.105.954,93
  • Carne suína in natura - R$ 35.070.615,65
  • Castanha para alimentação - R$ 6.195.120,90
  • Cebola in natura - R$ 17.993.117,80
  • Cereal natural - R$ 1.115.788,19
  • Chá alimentação - R$ 10.085.835,95
  • Chantilly - R$ 1.770.951,32
  • Cheiro verde in natura - R$ 5.804.574,40
  • Chiclete - R$ 2.203.681,89
  • Chocolate - R$ 16.171.487,31
  • Chocolate granulado - R$ 4.018.767,28
  • Chocolate pó - R$ 4.030.834,43
  • Chuchu in natura - R$ 6.754.123,64
  • Coalhada - R$ 1.527.647,88
  • Coco ralado - R$ 5.376.911,56
  • Cogumelo em conserva - R$ 10.875.477,61
  • Condimento - R$ 49.995.971,45
  • Couve in – natura - R$ 1.478.470,75
  • Cravo - R$ 1.350.137,47
  • Creme de leite - R$ 17.816.209,12
  • Doce confeitado - R$ 5.453.527,24
  • Doce em tablete - R$ 20.495.017,69
  • Doce fruta - R$ 16.988.662,31
  • Doce leite - R$ 8.918.442,46
  • Doce massa - R$ 15.219.669,91
  • Embutido - R$ 45.212.960,20
  • Ervilha em conserva - R$ 12.429.681,98
  • Farelo - R$ 3.897.145,01
  • Farinha de aveia - R$ 3.486.426,23
  • Farinha de mandioca - R$ 7.580.279,78
  • Farinha de milho - R$ 8.400.111,54
  • Farinha de trigo - R$ 13.074.548,46
  • Farinha láctea - R$ 3.989.699,01
  • Farinha quibe - R$ 4.075.954,66
  • Feijão - R$ 15.986.746,57
  • Fermento - R$ 16.628.885,60
  • Flocos de cereal - R$ 4.272.205,46
  • Frios - R$ 40.425.473,80
  • Fruta - concentrado/polpa - R$ 6.345.493,80
  • Fruta cristalizada - R$ 1.498.177,81
  • Fruta em calda - R$ 13.915.623,53
  • Fruta in natura - R$ 63.130.092,68
  • Fruta seca - R$ 1.001.476,61
  • Frutos do mar - R$ 6.177.328,04
  • Fubá - R$ 3.185.751,64
  • Gás refrigerante - R$ 1.906.792,93
  • Gelatina alimentícia - R$ 9.584.401,02
  • Geleia fruta - R$ 7.598.350,22
  • Geleia mocotó - R$ 1.842.255,75
  • Grão de bico - R$ 2.380.345,49
  • Iogurte natural - R$ 21.487.785,31
  • Legume em conserva - R$ 19.312.877,27
  • Legume in natura - R$ 66.741.799,93
  • Leite coco - R$ 9.692.621,21
  • Leite condensado - R$ 15.641.777,49
  • Leite em pó - R$ 16.659.492,30
  • Leite soja - R$ 1.100.015,15
  • Maçã in natura - R$ 1.619.492,11
  • Macarrão - R$ 17.789.385,90
  • Maionese - R$ 6.826.565,19
  • Manjericão in – natura - R$ 1.141.979,06
  • Manteiga - R$ 16.779.087,36
  • Margarina - R$ 9.320.313,48
  • Massa - R$ 8.825.506,52
  • Massa de tomate - R$ 5.448.593,23
  • Massa lasanha - R$ 3.906.476,06
  • Massa pastel - R$ 6.236.199,36
  • Massa tomate - R$ 2.036.599,15
  • Mel abelha - R$ 4.749.113,53
  • Milho - R$ 4.491.903,87
  • Milho em conserva - R$ 13.133.525,15
  • Milho pipoca - R$ 1.032.856,43
  • Milho verde in natura - R$ 4.102.773,01
  • Mingau instantâneo - R$ 1.607.508,14
  • Mistura alimentícia - R$ 18.078.777,29
  • Mistura suplementação alimentar - R$ 3.678.975,44
  • Molho alimentício - R$ 14.672.268,80
  • Molho de mesa - R$ 9.600.706,10
  • Molho inglês - R$ 4.142.603,18
  • Molho pimenta - R$ 6.519.238,73
  • Molho shoyo - R$ 3.365.435,57
  • Molho tomate - R$ 1.345.756,39
  • Óleo vegetal comestível - R$ 13.170.405,62
  • Ovo - R$ 30.259.692,90
  • Pão - R$ 22.229.419,85
  • Pão de queijo - R$ 8.719.739,55
  • Peixe em conserva - R$ 11.099.658,32
  • Peixe in natura - R$ 30.916.523,25
  • Picles em conserva - R$ 2.801.035,25
  • Pizza - R$ 1.240.866,58
  • Pó para refresco - R$ 1.331.263,96
  • Pó pudim - R$ 6.589.839,54
  • Queijo - R$ 45.588.412,36
  • Queijo ralado - R$ 3.696.286,01
  • Rapadura - R$ 1.554.167,98
  • Refrigerante - R$ 31.545.337,34
  • Requeijão - R$ 15.604.954,12
  • Ricota - R$ 1.207.074,80
  • Sagu - R$ 2.241.859,51
  • Sal - R$ 18.530.214,29
  • Salgados diversos - R$ 14.740.860,65
  • Sorvete - R$ 13.939.435,86
  • Suco - R$ 52.537.741,16
  • Tempero - R$ 14.827.686,33
  • Tomate in natura - R$ 3.493.740,30
  • Uva passa - R$ 5.029.601,54
  • Verdura in natura - R$ 53.232.579,76
  • Vinagre - R$ 13.227.049,84
  • Vinho - R$ 2.512.073,59