19 de junho de 2021
Campo Grande 27º 14º

Governador eleito pretende alterar orçamento 2015 para aumentar verba da saúde

A- A+

O governador eleito de Mato Grosso do Sul Reinaldo Azambuja (PSDB) conversou com a imprensa há poucas horas sobre suas prioridades para o final deste ano. Como já havia antecipado ontem, na primeira entrevista coletiva após anúncio da eleição, Reinaldo reafirmou seu compromisso de campanha de promover o mutirão da saúde, regionalizar os serviços públicos do Estado e reduzir gastos.

Para garantir que o mutirão da saúde funcione, Azambuja deve propor ao atual governador André Puccinelli (PMDB) que envie projeto de alteração na peça orçamentária de 2015 para destinar valor maior que os R$ 858.321 milhões previstos para área no projeto incial. "Nós não temos rios dinheiros, então precisamos priorizar o que é mais urgente."

Até o começo da próxima semana, Reinaldo deve anunciar os membros da equipe de transição que irá atuar em conjunto com a equipe do atual governador André Puccinelli (PMDB). Conforme Reinaldo, esta equipe será composta por representantes de todos os partidos aliados, o que corresponde às siglas integrantes da coligação Novo Tempo (PSDB, PSD, SD, DEM, PMN,PPS) e provavelmente deve abranger também o PMDB, que no segundo turno apoiou o então candidato. Reinaldo conversou ainda ontem à noite, por telefone, com o governador André Puccinelli (PMDB), que franquiou todas as secretarias para que Azambuja possa se interar sobre a situação de cada uma delas.

Dentro da minirreforma do secretariado proposta por Reinaldo está a junção de algumas pastas, corte de comissionados, e o desmembramento da Seprotur (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo), que será transformada em Secretaria da Agricultura, Pecuária, Vigilância Sanitária e Agricultura Familiar, e Secretaria da Indústria, Comércio, Serviços e Turismo

"Queremos investir principalmente na agricultua familiar, atravésdo Programa Produção Garantida que irá possibilitar ao pequeno produtor e aos assentados condições de se sustentar. Hoje, temos um êxodo muito grande, por falta de políticas públicas que auxiliem as pessoas do campo a produzir", explica Reinaldo.

O governador eleito também anunciou a criação de uma Governadoria Regional em Dourados, que irá atender aos 33 municípios que compõem a região da Grande Dourados, e oferecer seviços como liberação de licença ambiental e emissão de certidões junto à receita estadual. "Hoje se você precisa de um licenciamento, ou resolver questões com fisco, você tem que vir a Campo Grande. Com essa governadoria iremos dar agilidade a esses serviços. O governo precisa atuar além desse eixo Capital"

Reinaldo espera contar com a ajuda do atual governador para garantir a implantação de algumas dessas medidas no início de 2015. No caso do desmembramento da Seprotur, Azambuja irá solicitar a Puccinelli que ele envie ainda este ano o projeto para Assembleia Legislativa. Caso André concorde e atenda ao pedido do tucano, a votação deste projeto deverá ser uma amostra de como será a relação entre executivo e legisaltivo a partir do ano que vem, já que grande parte dos atuais deputados se reelegeram, e, a princípio, a bancada petista, que é praticamente a mesma, já se confirmou como oposição. No entanto, com a soma dos partidos aliados ao PSDB e PMDB, Azambuja já possui ao menos 15 deputados ao seu lado.

Heloísa Lazarini