21 de janeiro de 2021
Campo Grande 28º 21º

GOVERNO DE MS

Governo anuncia reforma do Parque dos Poderes; custaria R$ 9,5 milhões em 2016

O processo licitatório do projeto deve ser aberto ainda nesse mês de dezembro de 2020

Local que concentra as sedes administrativas dos poderes Executivo, Legislativo, Judiciário e Ministério Público, o Parque dos Poderes, em Campo Grande vai passar pela primeira revitalização em mais de 35 anos. O projeto foi apresentado pelo governador Reinaldo Azambuja a síndicos de condomínios localizados dentro do complexo e a grupos de atletas que usam o parque na manhã desta 5ª-feira (3.dez.2020).  Inaugurado em 1º de março 1983, devido ao querer do governador Pedro Pedrossian, o local, foi alvo de um diagnóstico da atual gestão ainda em 2016, quando a reforma estava orçada em R$ 9,5 milhões, já a proposta de agora, ainda não tem um orçamento fechado.  

Segundo a proposta atual, a revitalização inclui o recapeamento de 110 mil mdetros quadrados de ruas, implantação de 4 quilômetros de pista de caminhada e corrida, 4,2 quilômetros de ciclovia no canteiro central, acessibilidade, paisagismo, 70 bancos de descanso, três estações de ginástica, reforma dos estacionamentos e instalação de 41 abrigos nos pontos de ônibus e de lixeiras, além da construção de um Centro de Apoio ao Usuário com banheiros masculinos, femininos e adaptado para pessoas com deficiência. A intenção é iniciar o processo licitatório ainda em dezembro desse ano. 

A obra deve ser iniciada no primeiro trimestre de 2021. De acordo com o governo, por estar em fase de desenvolvimento do projeto, não há ainda uma projeção do quanto custará a revitalização.

Revitalização Parque dos Poderes Foto Chico Ribeiro 100

No encontro desta manhã frequentadores e moradores puderam apresentar sugestões que serão incorporadas ao projeto do engenheiro Marcio Machado.

O secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, ressaltou que, nos últimos anos, o Parque dos Poderes “deixou de ser um lugar [apenas] de trabalho, para ser um local de frequência da população, não só dos condôminos, mas também de quem utiliza o parque para fazer suas atividades esportivas, para passear”.

“Com o decreto de fechamento, a frequência aumentou muito nos fins de semana. Acabou virando um espaço importante da cidade de Campo Grande e de pessoas que vêm de fora. O governador conversando com o Marcelo [Miranda, presidente da Fundesporte] pediu que fizéssemos um projeto de melhorar essa estrutura para beneficiar a população com olhar muito atento à qualidade de vida das pessoas e à questão ambiental”, contou Riedel.