04 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 24º

Mochi solicitou audiência com ministro da saúde para discutir gastos da CPI da Saúde

O deputado estadual Junior Mochi (PMDB) afirmou nesta manhã, durante a inauguração do novo prédio do Imasul (Instituto de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul), que solicitou uma audiência com o ministro da saúde, Alexandre Padilha, para discutir os gastos da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Saúde. A expectativa é que a reunião aconteça até a próxima terça-feira.

“Pedi uma audiência com o ministro da saúde. Vou entregar o relatório para os gestores federais, estaduais, municipais, para os órgãos de controle interno Datasus (Departamento de Informática do SUS) e o Denasus (Departamento Nacional de Auditoria do SUS) e para a Controladoria Geral da União. Eles que decidem se é compatível o valor realizado com o valor pago”, declarou.

O impasse surgiu porque o deputado estadual Marquinhos Trad (PMDB) solicitou acesso às informações e relatórios referentes aos gastos feitos pela CPI. Segundo ele, é de se estranhar que a CPI da Saúde tenha gasto R$ 350 mil enquanto a CPI da Enersul, que percorreu um número maior de cidades e se estendeu por mais tempo, gastou apenas R$ 11.275.

Mochi afirmou que acha os valores justificáveis já que foram várias viagens ao interior do Estado e uma viagem à Brasília, mas se isentou da responsabilidade sobre as finanças da comissão. “Tudo normal, sem abusos. Em relação a outras CPIs, cabe a alguém levantar esses dados e constatar as diferenças. Não acredito que os gastos da outra foi tão pequeno como foi dito”.

O deputado explicou ainda que solicitou a contratação de um advogado para lhe ajudar nos relatórios e que a equipe administrativa de seu gabinete recebeu um acréscimo na remuneração de R$ 1 mil para acompanhar o trabalho parlamentar.

Diana Christie