06 de maro de 2021
Campo Grande 28º 19º

Para Alex, sociedade atenta cobra respostas firmes e contundentes das instituições

“Doa a quem doer, a política e as relações entre poder publico e iniciativa privada em Campo Grande precisam ser passadas a limpo. E a hora é esta”.

A afirmação é do vereador Marcos Alex (PT), ao aplaudir a decisão do desembargador Luiz Cláudio Bonassini, que expediu mandado de prisão para o empresário João Alberto Krampe Amorim dos Santos e o vice-prefeito Gilmar Olarte. Até à elaboração desta matéria, só Amorim havia se apresentado à Polícia. 

Segundo o vereador, mesmo sem fazer juízo de valor de quem quer que seja, qualquer habitante da cidade não tem dúvida alguma que a cassação do prefeito Alcides Bernal foi um golpe e que existe uma rede de interesses menores atuando para drenar os cofres públicos.

Alex lembra que quando o Gaeco fez a primeira operação para apurar se havia esquema de agiotagem na derrubada de Bernal a população já tinha claro que um violento choque entre forças políticas antagônicas ameaçava a estabilidade da administração do prefeito Alcides Bernal.

“Além de quebrar a hegemonia de duas décadas do PMDB, o prefeito eleito derrotou adversários fortíssimos de vários partidos, inclusive o PT, ao qual sou filiado histórico, e o PSDB, do Reinaldo Azambuja, que se tornou governador. E essa vitória quebrou política e até empresarialmente alguns grupos que tomavam conta dos mandatos até então”, analisa.

Para o vereador, a verdade será restabelecida pela Justiça, com base no que está sendo apurado em investigações policiais e do Ministério Publico. “É essencial restabelecer a normalidade democrática. Sem legitimidade, o poder é frágil, é uma ilusão, torna-se com facilidade refém de interesses escusos”, pontua. 

“E hoje, diante de tudo o que está havendo, uma certeza se cristalizou: a sociedade, a opinião publica, melhor dizendo, já se convenceu que só vai acreditar em instituições que marcarem suas atribuições com respostas firmes, contundentes e saneadoras contra a corrupção, corruptos e corruptores, sejam de quais partidos forem ou quaisquer sobrenomes tiverem”, conclui Alex.