22 de junho de 2024
Campo Grande 30ºC

MANDADO DE PRISÃO

PF caça 17 bolsonaristas radicais em Mato Grosso do Sul

Ação mira alvos em mais 7 estados e DF

A- A+

A Polícia Federal (PF) cumpre na manhã desta 5ª.feira (15.dez.22) 17 buscas e apreensões em Mao Grosso do Sul. 

Ao todo, 81 mandados de busca e apreensão estão acontecendo também no Acre, Amazonas, Rondônia, Mato Grosso, Paraná, Santa Catarina e no Distrito Federal. Preliminarmente foi apurado que só há um mandado de prisão sendo cumprido no Espírito Santo.

A determinação é do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes no âmbito do inquérito das fake news. O comunicado da PF.  

Também foram determinados bloqueios de contas e quebra do sigilo bancário dos investigados. Os alvos não tiveram a identidade revelada até a publicação desta reportagem.

Os alvos estão envolvidos em atos antidemocráticos e golpistas, incluindo aqueles que fecharam rodovias em todo o país após a derrota de Jair Bolsonaro (PL) nas urnas e os acampamentos em frente aos quartéis.

O ministro é relator da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 519, que investiga os bloqueios e manifestações contrárias ao resultado da eleição presidencial de outubro. A íntegra da ADPF

Na 4ª feira (14.dez), Moraes havia dito que ainda teria “muita gente para prender e muita multa para aplicar” durante o 4º seminário “STF em Ação”.

A fala de Moraes citava o discurso prévio do ministro do STF Dias Toffoli. Ele havia mencionado as 964 detenções realizadas nos Estados Unidos de envolvidos na invasão ao Capitólio, em janeiro de 2021. “Eu fiquei feliz com a fala do ministro Toffoli, porque comparando os números, ainda tem muita gente para prender e muita multa para aplicar” , disse Moraes. Não ficou claro, no entanto, se o magistrado falava dos EUA ou do Brasil. O comentário provocou risadas e aplausos da plateia presente.

No início de dezembro, Moraes já havia multado em R$ 100 mil os proprietários dos caminhões que estariam envolvidos no bloqueio de estradas. Ele também proibiu a circulação dos veículos e bloqueou seus documentos.

Na 2ª feira (12.dez), depois da diplomação do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do vice eleito Geraldo Alckmin (PSB), bolsonaristas radicais tentaram invadir a sede da PF, em Brasília

Em discurso na cerimônia de diplomação do presidente eleito, Lula (PT), na segunda, Moraes prometeu 'integral responsabilização' dos responsáveis pelos "ataques antidemocráticos".

Os ataques começaram na sequência da ordem de prisão temporária do indígena xavante José Acácio Serere Xavante, 42 anos, a mando de Moraes. Os radicais vandalizaram ao menos 15 veículos na Capital federal. Veja AQUI. 

A prisão de Serere ocorreu, pois em 30 de novembro de 2022, ele havia sido filmado em ato contra a vitória de Lula em frente ao Congresso Nacional. Na ocasião, hostilizou o ministro e disse que o pegaria “pelo pescoço”, em tom de ameaça.