22 de maio de 2024
Campo Grande 24ºC

'OPERAÇÃO MURDER INK'

PF prende quem mandou matar Marielle

Ainda foram expedidos 12 mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro

A- A+

A Polícia Federal (PF) prendeu preventivamente na manhã deste domingo (24.mar.24) o deputado federal Domingos Brazão (União Brasil-RJ), o conselheiro do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro, Chiquinho Brazão, e o ex-chefe da Polícia Civil do Rio, Rivaldo Barbosa. Eles são suspeitos de envolvimento no assassinato da vereadora Marielle Franco, e de seu motorista, Anderson Gomes.

Conforme a PF, Rivaldo é investigado por suposta obstrução de justiça e os irmãos Brazão surgem como principais suspeitos de serem os mandantes do assassinato.

Na imagem da esquerda para direita, Domingos Brazão, conselheiro do TCE-RJ, o deputado federal Chiquinho Brazão (União Brasil-RJ) e Rivaldo Barbosa, ex-chefe da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro | Foto: Reprodução

A operação autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi batizada de 'Murder Inc', em referência a uma associação de crime organizado que em 1930 realizava execuções a serviço das máfias de Nova York. Na língua inglesa, 'murder' siginifica assassinato.

Além das prisões, a Polícia Federal também cumpre mais 12 mandados de busca e apreensão em endereços de outros nomes ligados à investigação. A operação conta com o apoio da Procuradoria Geral da República (PGR), do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), da Secretaria de Estado de Polícia Civil do Rio e da Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen).

Veja também: Vídeo: Ronnie Lessa revela quem o contratou para matar Marielle Franco