05 de maro de 2021
Campo Grande 29º 21º

'Temer Presidente'

PMDB oficializa rompimento com governo Dilma e foca impeachment

Em reunião que durou apenas três minutos no início da tarde desta terça-feira (29), o PMDB oficializou rompimento com governo da presidente Dilma Rousseff (PT).

O senador Romero Jucá foi quem conduziu o encontro em que os membros do partido optaram pela saída do governo. O senador leu as resoluções dos diretórios regionais e citou resolução do diretório da Bahia que listou os motivos pelos quais o partido deveria deixar governo. Na reunião, sob gritos de "Brasil pra frente, Temer Presidente", e "Fora PT" os peemedebistas aprovaram, por aclamação, rompimento com governo da presidente Dilma.

Jucá foi categórico ao afirmar que todos os filiados do PMDB que possuem cargos no governo deverão pedir exoneração ou se licenciar do partido. Até momento, dos seis ministros da legenda, três já pediram exoneração. Edinho Araújo (ex-ministro de Portos) e Eliseu Padilha (ex-ministro da Aviação Civil) foram os primeiros a deixar cargos no Governo e retornar à Câmara Federal. Os dois já confirmaram apoio ao impeachment. Ontem, o ministro Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) pediu exoneração do Ministério do Turismo.

Porém,os ministros Kátia Abreu (Agricultura), Marcelo Castro (Saúde) e Helder Barbalho (Portos) se recusam a entregar os cargos. Os três não participaram do encontro nacional. Kátia Abreu deve anunciar nos próximos dias a desfiliação do PMDB e retorno para PSD, partido do qual saiu para se filiar ao PMDB. Atualmente, o PMDB possui a maior bancada no Congresso com 69 deputados e 18 senadores.