27 de setembro de 2020
Campo Grande 39º 25º

Chocolate quer virar deputado e surpreende executiva municipal

O desejo do vereador Chocolate (PP) de se candidatar a deputado estadual nas próximas eleições foi recebido com surpresa pela executiva municipal do PP (Partido Progressista), presidida pelo vereador Cazuza. “É uma surpresa pra mim, mas ele é livre para ser o que quiser. Ele e todos os candidatos têm que passar pela convenção”, afirmou.

Chocolate foi expulso pela comissão de ética do partido por infidelidade partidária, mas conseguiu manter-se na legenda através de liminar judicial. Após reunião com a executiva nacional do PP nesta semana, o vereador voltou de Brasília (DF) confiante que permanecerá na legenda e com planos para seu futuro político.

De acordo com Cazuza, o vereador Chocolate foi expulso pela comissão de ética estadual porque nunca respeitou o direcionamento do PP. “Ele sempre votou contrário ao perfeito (Alcides Bernal). Não lembro quem fez (o pedido de expulsão), mas foi para a comissão de ética que achou que ele infringiu o estatuto do partido”, argumentou.

A crise entre Chocolate e o Partido Progressista começou, principalmente, quando o vereador votou a favor da Comissão Processante que investigou possíveis irregularidades na administração do prefeito Alcides Bernal, que também é o presidente da executiva estadual do PP. Vereador de primeiro mandato, Chocolate foi eleito em 2012 com o menor número de votos entre os vereadores na Câmara Municipal, mas está convencido de que tem grandes chances de chegar à Assembleia Legislativa.

Apesar de negar que evitará a candidatura de Chocolate, o presidente da executiva municipal ressalta que o número de vagas para a disputa é limitado. “Se ele é candidato, todas as pessoas filiadas tem a oportunidade de se candidatar, mas tem que ver na convenção. Vamos analisar quem vai ser candidato porque tem vagas. Vamos ver o que é melhor para o partido. Não tem problema ele buscar o sonho dele. Vivemos em uma democracia”, finalizou.

Diana Christie