22 de maio de 2024
Campo Grande 28ºC

CANDIDATO DE MS

Professor Tiago Botelho está na posse de Lula

Candidato mais votado do PT em MS

A- A+

Em Brasília, o candidato mais votado do PT em MS representa “178 mil sonhadores” ao lado de um seleto grupo de convidados.

O Professor Tiago Botelho (PT-MS) participa da cerimônia de posse do presidente eleito Luís Inácio Lula da Silva neste domingo (1º) em Brasília. O terceiro candidato ao Senado Federal mais votado em Mato Grosso do Sul recebeu convite formal da Coordenação da Posse do Gabinete de Transição Governamental para participar dos eventos na capital federal.

Ao encontro do futuro, Botelho deve acompanhar cada ato da cerimônia ao lado do seleto grupo de ministros, deputados, senadores, apoiadores do presidente Lula e demais autoridades nacionais e internacionais convidadas.

“Esta posse é o resultado de nossas lutas. Comigo estarão os 178 mil sonhadores. Nós entraremos pela porta da frente do Palácio do Planalto para dar posse ao presidente do povo. Será um dia histórico para democracia e brasileira e vocês estarão comigo” afirmou o professor.

A cerimônia de posse está marcada para ocorrer a partir das 15h e inclui os seguintes momentos: Compromisso Constitucional, em transmissão direta do Congresso Nacional; o recebimento da Faixa Presidencial (às 16h20); Pronunciamento à Nação (às 16h30); Nomeação dos Ministros de Estado (às 18h00).

“Lá estarão comigo todos os sul-mato-grossenses que acreditaram nos nossos projetos. Que sonharam com a democracia, o amor e a humanidade”, finalizou o professor que já está em Brasília.

SURPRESA

Botelho foi o terceiro candidato ao Senado Federal mais votado em Mato Grosso do Sul, nas eleições de 2022, em disputa pela única vaga com mais de 178 mil votos. Aos 39 anos, o professor foi o mais jovem entre os concorrentes e apresentou ao lado de Lula um resultado que contrariou a maioria das pesquisas eleitorais, sendo o candidato do Partido dos Trabalhadores mais votado no estado.
 
No ranking de votos, Botelho ultrapassou o Juiz Odilon e encostou no ex-ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta, com uma diferença de apenas 28 mil votos, alcançando quase o segundo lugar.

“Fazer política de esquerda desde o interior de Mato Grosso do Sul não é fácil, mas, também, não é impossível. Nós não vamos desistir!”, publicou em uma rede social.