01 de agosto de 2021
Campo Grande 27º 13º

Puccinelli afirma que aliança com PT depende apenas da decisão de alguns membros do PMDB

A- A+

O governador André Puccinelli (PMDB) surpreendeu a todos hoje pela manhã quando afirmou que a aliança entre seu partido e o PT (Partido dos Trabalhadores) depende apenas de uma decisão monocrática da cúpula do PMDB de Mato Grosso do Sul. Questionado sobre a possibilidade de aliança, Puccinelli deu a entender que pelo PT, em especial pela presidente Dilma Rousseff e pela executiva nacional do partido, a aliança deve acontecer e que a decisão está nas mãos de um grupo seleto e restrito do PMDB. "Sobre a aliança com PT a gente (do PMDB) vai decidir. No PMDB é assim é uma decisão monocrática", afirmou. Quando questionado sobre quem seriam os caciques do partido que teriam a responsabilidade de tomar a decisão, Puccinelli não titubeou e afirmou categoricamente: "A gente somos eu, o Moka, o Mochi e o Fábio Trad". A declaração reforça ainda mais a afirmação feita pelo governador no início da manhã quando questionado se já havia decidido se candidatar ao Senado. Puccinelli respondeu que já havia tomado a decisão na noite de ontem e que se o que haviam lhe dito se confirmasse, sinalizou positivamente com a cabeça de que seria candidato. Mais tarde, durante a entrega das novas viaturas para polícias civil e militar do Estado, André se emocionou e chorou quando contou aos presentes que até mesmo sua filha lhe pediu, no último domingo, que ele seja candidato ao Senado. "Estávamos jogando buraco em casa e minha filha me questionou por que não me candidato. Eu já disse que quero terminar meu mandato no dai 31 de dezembro e digo mais, ainda não me dobraram e vai ser difícil de me dobrar". Diante das diferentes declarações, Puccinelli mais uma vez deixa no ar se vai ou não ser candidato ao Senado e também não esclarece se será candidato em uma chapa majoritária do PMDB ou formará uma aliança com o PT. Heloísa Lazarini