22 de maio de 2024
Campo Grande 24ºC

EXTREMA DIREITA

Senador ameaça renunciar e revela esquema golpista de Jair Bolsonaro

Ex-presidente queria montar 'armadilha'

A- A+

O senador bolsonarista Marcos do Val (Podemos-ES) revelou nesta 5ª.feira (2.fev.23) que participou de uma reunião com o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e com ex-deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), em dezembro de 2022, na qual recebeu um pedido para gravar uma conversa com o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). O objetivo seria criar uma situação que impedisse a posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). 

Após revelar o esquema à Revista Veja, Do Val disse na sua rede social que iria renunciar do cargo de Senador Capixaba:

O cabeça do plano golpista seria Jair Bolsonaro e o peão era o ex-deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), que acabou preso nesta 5ª, como mostramos mais cedo aqui no MS Notícias. Além deles, para efetivar o golpe, Bolsonaro teria o apoio do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República e de dois militares "cinco estrelas".

Em entrevista coletiva no Senado, Marcos do Val afirmou que o suposto plano foi apresentado por Silveira e que Bolsonaro não interrompeu seu aliado. "Não, (o Bolsonaro) não impediu o Daniel". 

De acordo com o parlamentar, o convite foi feito por Silveira no Senado e reforçado pelo próprio Bolsonaro em uma ligação. "Ele disse que o presidente queria conversar comigo. Pelo telefone dele mesmo, ele ligou para o presidente e o presidente perguntou se eu poderia encontrar com ele naquela hora".

A reunião ocorreu dois dias depois, no dia 9 de dezembro. Silveira teria dito que ele não poderia chegar em seu carro oficial, e os dois se encontraram em um estacionamento. "Ele disse: vamos nos encontrar no meio do caminho, que é importante você não entrar no seu carro oficial". 

O senador também disse que está "à disposição" da Polícia Federal (PF) para falar sobre uma suposta tentativa de golpe envolvendo o ex-presidente Jair Bolsonaro. A PF já pediu autorização a Moraes para colher o depoimento. "Estou à disposição, estou esperando. É inevitável. Claro que vou ter que esclarecer, lógico. Não fiz isso antes por conta de não expor o ministro Alexandre", afirmou.

Marcos do Val disse que está repensando a decisão de renunciar ao seu mandato, que chegou a ser anunciada na madrugada desta quinta. Sem o cargo, ele também perderia o foro previlegiado e poderia ser levado à justiça comum.  

À Veja, Do Val relatou que o encontro durou 40 minutos e foi recheado de cuidados, como se referir à reunião por códigos, para impedir qualquer registro da conversa. De dentro do Palácio do Alvorada, o deputado bolsonarista apresentou ao senador a ideia de gravar Moraes para depois incriminá-lo. Disse que Do Val seria um "herói nacional" se embarcasse no plano.

O parlamentar relatOU que Bolsonaro afirmou na reunião que já havia acertado o suporte técnico à operação com o GSI, que fornceria escutas de operações especiais para o 'grampo'. O presidente da República disse a Do Val que a armadilha "iria salvar o Brasil".

A escolha pelo nome do senador se deu pela sua relação de mais de uma década com o ministro do STF e do TSE. Do Val não respondeu prontamente e pediu a Bolsonaro e Silveira para pensar sobre o pedido.