29 de maio de 2024
Campo Grande 9ºC

MOTOR DE MENTIRAS

Servidor público de Campo Grande, bolsonarista é disparador de fake news

A maioria das publicações feitas pelo indivíduo trazem delírios da extrema direita

A- A+

Nomeado em dezembro de 2021 para um cargo de confiança na Secretaria Municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio (Sidagro), de Campo Grande (MS), Jober Prado Guimarães é um dos bolsonaristas sul-mato-grossenses disparadores de conteúdos sabidamente mentirosos em redes sociais. A atuação mais forte de Jober é nos aplicativos de mensagens como WhatsApp.  

Zootecnista, antes do atual cargo, era superintendente do Agronegócio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e de Ciência e Tecnologia (Sedesc). Ambos os cargos foram na gestão Marquinhos Trad.

A maioria das publicações feitas pelo indivíduo trazem delírios da extrema direita e ataques contra a honra do atual presidente eleito, Lula (PT). Além disso, Jober também tem disparado em massa em grupos radicais, postagens em que estimula atos golpistas. Veja alguns prints de posts mentirosos disparados por Jober:  

O MS Notícias teve acesso a prints de conversas num grupo chamado “Agro Forte”, onde Jober compartilha uma mensagem pedindo “Intervenção Federal”.  

Nesta mensagem, Jober aparece como 'contato salvo' relacionado ao seu antigo cargo na Sedesc. Foto: Print | Grupo Agro Fort 

Numa outra postagem o servidor compartilha um falso twitte criado pelo gabinete do ódio em que supostamente Lula teria afirmado: "Irei retomar o ICMS da gasolina que foi cortado no governo Bolsonaro. Com isso os estados deixaram de arrecadar, é de fundamental importância o ICMS para os estados e municípios. peça o povo brasileiro que entenda, a gasolina sofrerá aumento, mas é para o bem da nação", diz a falsa publicação atribuída ao novo presidente. Eis o post: 

Em mais posts disparados no grupo o servidor estimula a ruptura das instituições democráticas:  

Pessoas que agem de má fé compartilhando coisas sabidamente mentirosas terão de responder na Justiça.

Em Mato Grosso do Sul, os líderes do Partidos dos Trabalhadores estão monitorando esses perfis e colhendo material robusto para levá-los à justiça para que respondam pelas ofensas à honra e outros crimes, como incitação a ruptura dos poderes constituintes da democracia brasileira.