04 de maro de 2021
Campo Grande 32º 22º

Takimoto vê visita imperial como carimbo definitivo de amizade

O deputado estadual George Takimoto (PDT) classifica como um “carimbo inapagável de amizade e cooperação” entre brasileiros e japoneses a visita do casal imperial Akishino ao Brasil, pontuando o júbilo sulmatogrossense de ter o Estado incluído no roteiro da família real. “É uma honra incomparável, é um marco histórico receber aqui dois representantes de uma Nação que tem com o Brasil laços tão fortes de afetividade”, enfatiza.

Esta é a segunda visita dos dois principais representantes da Casa Imperial do Japão ao Brasil, agora ilustrando os 120 anos de amizade entre os dois países. Em 1988, a viagem comemorou os 80 anos da imigração japonesa. A agenda atual do príncipe Fumihito e da princesa Kiko começou a 28 de outubro e vai até segunda-feira, 8. Nesses 12 dias, o casal percorre várias cidades, entre as quais duas de Mato Grosso do Sul: Miranda, com incursões no Pantanal, e Campo Grande. Também estão no roteiro São Paulo, Curitiba, Londrina, Rolândia, Maringá, Belém, Distrito Federal e Rio de Janeiro.

Mato Grosso do Sul, estado brasileiro que abriga a terceira maior população de descendentes japoneses no Brasil, preparou várias homenagens para receber os príncipes. A Associação Esportiva e Cultural Nipo-Brasileira, em cuja sede de campo serão realizadas a recepção e as reverências aos visitantes, vai receber milhares de autoridades e convidados. O presidente da Associação, Acelino Nakasato, exulta: “Este é um acontecimento que, com certeza, vem premiar a perspectiva de paz, de cooperação mútua e de fortalecimento dos laços que unem historicamente duas grandes nações”, avalia.

A visita a Miranda será neste domingo, 1º de novembro. Na segunda-feira, 2, além de uma audiência com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), o casal Fumihito e Kiko conhecerão o Museu das Culturas Dom Bosco e, no clube de campo da Associação Nipo-Brasileira, a agenda prevê um cerimonial de boas-vindas, visita ao stand de artesanato, a inauguração do memorial alusivo aos 120 anos de amizade e encontros com japoneses residentes e representantes de entidades que promovem intercâmbio, divulgação e preservação da cultura e dos costumes do Japão.


HOSPITAL DO PANTANAL – O deputado George Takimoto reforça, com o governador Reinaldo Azambuja, uma ideia que vem sendo cultivada há mais de cinco anos pela comunidade oriental em Mato Grosso do Sul: a construção  do Hospital do Pantanal, que vem sendo cultivado há mais de cinco anos.

Na semana passada, Takimoto recebeu em seu gabinete a visita de representantes da Comissão Organizadora do projeto, que pediram seu encaminhamento ao casal imperial.

Segundo a coordenadora da Comissão, a doutora da universidade de Kochi, Reiko Moribe, a intenção é que esse projeto seja construído em Guia Lopes da Laguna, onde o prefeito Jácomo Agostini já oficializou a doação de uma área de 25 hectares. Duas instituições superiores, a universidades japonesa de Kochi e a brasileira UFMS, firmaram parceria para o desenvolvimento técnico e científico do projeto. Os recursos para a obra serão captados junto a fundos e bancos públicos e privados.

Ainda não existe um cálculo exato sobre o valor do investimento, já que houve a necessidade de atualizar o projeto, o que está em fase de conclusão. Mas está decidido que a obra inclui um complexo hospitalar e um SPA, que além dos recursos tecnológicos mais avançados da Medicina utilizará ensinamentos da ciência oriental e produtos da flora abundantes em território pantaneiro. O hospital é projetado para ser um modelo mundial.

A pedra fundamental do Hospital do Pantanal em Guia Lopes da Laguna foi lançada oficialmente em 29 de abril de 2011. Participaram do ato autoridades como a senadora Marisa Serrano (hoje conselheira do Tribunal de Contas), os deputados estaduais Alcides Bernal (atual prefeito de Campo Grande) e Antonio Carlos Arroyo, os prefeitos de Guia Lopes, Jardim, Bonito e Nioaque e o arquiteto Celso Costa, que desenhou o projeto.

Há anos médicos japoneses colaboram profissional e financeiramente com  serviços de saúde publica no Estado e conhecem as deficiências no sistema de regiões como o Sudoeste e o Pantanal. Em 2001, por exemplo, um grupo de médicos japoneses voluntários fez a  doação de US$ 300 mil ao município de Guia Lopes da Laguna, construiu o CDM - um centro de assistência - e ainda adquiriu os equipamentos. Em 2013, no mesmo contexto, foi inaugurada uma escola de enfermagem no CDM, como extensão de estabelecimento similar, a Escola Vital Brasil, de Dourados.