28 de julho de 2021
Campo Grande 14º

SIDROLÂNDIA | ELEIÇÕES SUPLEMENTARES

Vídeo: a 48h da eleição, comitê vira palco de acusações de 'calote' e trocas de agressões

Populares dizem que com o fim das caminhadas o político teria ficado devendo aos cabos eleitorais

A- A+

O candidato tucano à Prefeitura de Sidrolândia, Enelvo Felini, teria sido acusado por cabos eleitorais de ‘calote’ e a suposta dívida gerou confusão hoje (11.jun) no início da noite, no Comitê do peessedebista em Sidrolândia. A polícia foi chamada para acalmar os ânimos. 

Ontem, quinta-feira (10.jun), os candidatos ficaram obrigados a cessar suas campanhas nas ruas, seguindo apenas nas redes sociais, já que o decreto que mudou o grau de risco da Covid-19 em Sidrolândia, passando a não permitir atividades nas ruas a partir de sexta (11).

Vídeo mostra o tumulto com a presença da Polícia Militar em frente ao comitê. Populares dizem que com o fim das caminhadas o político teria ficado devendo aos cabos eleitorais se negando a pagar pelos serviços prestados.

Por telefone, Enelvo garantiu que nenhuma das pessoas que estão trabalhando na campanha deixarão de receber. "Já fui candidato 10 vezes e em todas as campanhas honrei com os compromissos", garantiu ao site Região News.

Segundo o Ministério Público, os candidatos já estavam vedados de realizar comícios e atos que poderiam gerar aglomerações, além de realizar reuniões em locais particulares com quantidade de pessoas que desrespeitasse os limites em vigor nos municípios naquele momento, além do uso obrigatório de máscaras e álcool em gel.

ELEIÇÕES DO VAI E VEM

A candidata adversária de Enelvo é a atual prefeita interina Vanda Camilo (PP) - Enelvo tinha concorrido em 2020 e perdido para Daltro Fiuza (MDB), porém esse não teve seu recurso deferido pela Justiça Eleitoral, por isso Enelvo ganhou o direito de concorrer às eleições fora de época. 

Vanda ficou no cargo de prefeita de forma provisória, ao decidir disputar ao cargo de chefe do executivo, a esposa de Fiuza, Rosi virou vice de Vanda, Felini escolheu Moacyr de Almeida (Patri) para compor a chapa. Contudo, Enelvo, Josi e Moacyr pegaram covid e o pleito de abril foi adiado para junho.

Enelvo e Josi se recuperaram, já Moacyr não resistiu e morreu nesta semana, quando foi então substituído por Lúcio Basso (DEM), mas ontem, dois dias após o anúncio, o nome de Basso acabou sendo retirado para a entrada de Sérgio Ocampos, também do Patri.

*Com Sidro Mídia MS