27 de fevereiro de 2021
Campo Grande 32º 22º

"JULIANO BRABO"

Vídeo: presos mostram corpo caído e caçoam executado na Gameleira

Homem teria executado mulheres em 2017 decapitando elas em disputa pela liderança do tráfico

Leia também

• Interno é assassninado a tiros em frente a Gameleira

Presos aparecem em vídeo caçoando o corpo do interno Juliano Pereira, de 42 anos, assassinado por 12 tiros na manhã desta 2ª-feira (30.nov.2020), em frente ao presídio semiaberto da Gameleira, em Campo Grande. Ele foi morto quando estava saindo para trabalhar, foi interceptado por dois atiradores em uma moto, com disparos de pistola 9 mm (milímetros) e ponto 40. 

Segundo informações, Juliano cumpria pena de 22 anos, pelos crimes de homicídio, roubo e tráfico. Ele foi morto por pelo menos 12 tiros, que atingiram o braço, tórax e cabeça.

Em 2017, Juliano Pereira foi apontado como principal suspeito pela execução da ex-mulher Fabiana Aguayo Baez, de 23 anos, e da irmã dela Adriana Aguayo Baez, de 28 anos, no Bairro Obreiro, em Pedro Juan Caballero, no Paraguai. 

Elas foram sequestradas, decapitadas e tiveram os corpos carbonizados na carroceria de uma caminhonete Ford Ranger. A disputa pelo comando de "negócios" relacionados ao tráfico de drogas teria motivado o crime.

À época, segundo informações da polícia, as investigações apontavam que Fabiana teria "tomado as rédeas" das negociações de drogas, antes feitas pelo marido, o que acabou incomodando Juliano, que estava preso no Presídio de Segurança Máxima Jair Ferreira de Carvalho. 

Uma equipe da perícia foi acionada e esteve no local. Ainda não foi identificado nenhum suspeito, o caso será investigado pela polícia.

VEJA ABAIXO O VÍDEO PRODUZIDO PELOS INTERNOS