13 de junho de 2024
Campo Grande 23ºC

Como se comemora o Natal em diversos países do mundo

A- A+

As comemorações natalinas têm diferentes modos de festar a chegada de Jesus Cristo. A reportagem de hoje explica como são comemoradas as festas natalinas em vários países do mundo que, em geral, ocorrem de acordo com as características de cada povo, seus costumes, clima, tradições religiosa. Vamos às diferentes manifestações.

BRASIL: Neste País, o Natal começou a ser comemorado no século XVII com uma espécie de “barraca de natal” montada à frente da capela do engenho. Ali havia doces e salgados feitos pelas cozinheiras escravas. Os escravos e senhores armavam a lapinha (presépio) de figuras de barro. Misturava-se a tradição do Reino de Portugal com as coisas “tupiniquins”.

CHINA: na China, começa a despontar um interesse no que se refere aos enfeites e ao ambiente alegre que a data inspira, apesar de ela não se voltar para festas ou outras comemorações alusivas. Os cristãos chineses são estimados em 1,2 milhão de pessoas em uma população que já ultrapassa 1.3 bilhão. O Natal começa a despontar incorporado aos costumes da China contemporânea. Já são vistos papais noéis nas grandes lojas de departamentos das principais cidades do País, ocorrendo, inclusive, a venda de cartões natalinos e de presentes.

JAPÃO: Os costumes ocidentais vivenciados na época natalina, em virtude de diferentes tradições religiosas não assumem grande importância. O significado maior fica por conta do Ano Novo, ocasião em que se faz a entrega dos presentes.

PORTUGAL: A tradição portuguesa festeja a véspera do Natal com a consoada: uma ceia de bacalhau, acompanhamentos e vinho branco. Participam da missa à meia noite e no dia de Natal, comem cordeiro ao forno.

RÚSSIA: Já nos países de tradição russa (ortodoxa) o Natal é comemorado dia 6 de janeiro, sendo que as crianças recebem presentes no dia primeiro.

ESTADOS UNIDOS: Com relação aos Estados Unidos, as cidades recebem muitos enfeites, as vitrines ostentam muita arte e beleza, e a música ecoa em toda a parte. É em Nova Iorque que se sente, no ar, o espírito natalino: avenidas amplamente iluminadas e enfeitadas artisticamente.

ISRAEL: Em Israel, é intensificada a peregrinação a Belém, em visita ao local do nascimento de Jesus (Igreja da Natividade), onde é celebrada missa na noite de Natal.

POLÔNIA: Nesse país, os presentes são distribuídos dia 6 de dezembro. Para os poloneses as comemorações começam assim que aparece, no dia 25 de dezembro, a primeira estrela no céu, quando então é servida a refeição de Natal. Os poloneses e alguns espanhóis não comem carne na noite de Natal. Entre os poloneses e lituanos não pode faltar o paplotélis ou o oblátik, uma espécie de hóstia ou pão ázimo.

HUNGRIA: As crianças húngaras visitam as famílias amigas, levando um pequeno presépio e os votos de Boas Festas.

ALEMANHA: Na Alemanha, as crianças recebem presentes na noite do dia 24 de dezembro e no dia 6 de janeiro ganham doces ou pequenas lembranças. Costumam-se, quatro domingos antes do dia 15, montar a Coroa do Advento, guirlanda de galhos verdes com quatro velas. A cada domingo uma vela é acesa pela família, nas residências. Conforme a região da Alemanha usam-se tipos variados de enfeites, como as estrelas de palha e os bonequinhos de madeira.

MÉXICO: No México, a véspera do Natal é especial ocasião em que se prepara a ceia e decora-se a casa com serpentinas, fitas coloridas, árvore natalina e presépio. Desde o dia 16 de dezembro, em todas as noites é realizada uma procissão, onde se representa a caminhada de Jesus e Maria. E também é comum a brincadeira com a já tradicional la piñata- recipienteque recebe decoração de pássaro, avião ou boneca, contendo doces e balas e que fica pendurado em um galho de árvore. As crianças com, vendas nos olhos, tentam-com uma vara nas mãos- atingir o recipiente até que os doces desprendam.

FRANÇA: Nesse país europeu as festas de Natal repetem-se no Ano Novo, particularmente na entrega de lembranças. Na mesa, o patê de foiegras, o peru e o “bûchede Noel” (um rocambole recheado de chocolate em forma de um tronco de árvore). Nas localidades do interior as festividades são enriquecidas com os costumes do campo, a cozinha saborosa e o teatro medieval. Depois da tradicional missa, na véspera do Natal, segue-se uma ceia e essa vigília é chamada le reveillon, costume que se estendeu também para o último dia do ano.

GRÉCIA: Para os gregos, os aspectos fortes são os tradicionais doces e amanteigados. Como bom supersticioso, o grego não deixa de comer “kurabiedes”,tradicional amanteigado especialmente distribuído para as crianças que costumam saboreá-lo em casas de amigos e parentes. Outra tradição é tomar “retsina”,vinho branco curtido dentro de uma garrafa com pinhões.

ÁUSTRIA: Na Áustria, os presépios são montados em toda a parte e a árvore de Natal é iluminada com velas. A chamada para a Missa do Galo é feita por músicos que tocam trombetas nas torres das Igrejas. Os fiéis adentram as igrejas com lanternas nas mãos, cantando Noite Feliz. Aliás, canção composta naquele País. Apagam-se as velas. Acendem as luzes, a celebra-se o Natal!

HOLANDA: Já os holandeses trocam presentes e fazem a Festa de Natal, com ceia e tudo, bem antes de nós: dia 6 de dezembro, Dia de São Nicolau. São Nicolau chega no último sábado de novembro, acompanhado de Lack Peter, o limpador de chaminés, assistido por milhares de crianças.

INGLATERRA: Nesse país o povo costuma soltar crackers na noite de Natal. São fogos de artifício feitos em casa, que têm dentro, pequenos presentes que aparecem quando eles estouram. O momento mais importante da festa de Natal dos ingleses é o discurso da rainha, uma tradição ganso assado à ceia. E há ainda o Chistmas Book, livro que contém as assinaturas dos que compartilham das festas natalinas nas residências. Ele fica sempre pendurado em uma árvore.

ESPANHA: Em Madri, nas principais praças são montados presépios humanos, com pessoas substituindo as tradicionais figuras. Nas cidades interioranas as crianças saem às ruas cantando e tocando para pedir doces nas casas. A tradição espanhola manda consumir o chamado cochinillo (leitãozinho assado), pesando entre 2,5 e 3,5. Prato principal na ceia. A troca de presentes ocorre dia 6 de janeiro.

CUBA: Em Cuba, depois de 28 anos, em função da visita do Papa João Paulo II, voltou a ser feriado no dia 25 de dezembro. O feriado de Natal foi abolido em 1969, após a chegada dos comunistas ao poder. A data só era lembrada em locais frequentados por turistas, como os hotéis internacionais, onde os pinheirinhos não deixavam de ser montados.

ITÁLIA: Em Roma, a grande e solene missa é celebrada pelo Papa, na Basílica de São Pedro .Centenas de sinos ecoando e música sacra tocando dentro das igrejas, tornam a data emocionante. Na Praça de São Pedro, há um presépio, com figuras em tamanho natural. Uma gigantesca árvore iluminada por centenas de lâmpadas coloridas, completa o clima. O Papa reza, também, dia 25 e dá a bênção ao mundo. Mas, por todo país as manifestações populares acontecem, das mais variadas maneiras, um pouco parecido com o nosso Natal: ceia, Papai Noel, presentes, confraternização.

PAÍSES MUÇULMANOS: Os muçulmanos não comemoram o nosso Natal. Eles consideram Cristo como um profeta comum.

Leide Laura Meneses com informações do site UNIFAE