02 de dezembro de 2021
Campo Grande 30º 22º

Orquestra Indígena do MS se apresentará na Copa do Mundo

A- A+

A Orquestra Indígena Teko Arandu, iniciativa do Instituto Ressoarte apoiada pelo Oi Futuro por meio do programa Oi Novos Brasis, vai se apresentar no Rio de Janeiro durante a Copa do Mundo. O Teko Arandu foi o único projeto selecionado, do Mato Grosso do Sul, pelo Concurso Cultura 2014 que definiu as manifestações culturais que farão parte da programação da competição no Brasil. Os 114 projetos classificados se apresentarão nas 12 cidades-sede da Copa do Mundo, de 10 de junho a 15 de julho, totalizando 892 apresentações de trabalhos artístico-culturais em todas as regiões do país. As apresentações abrangem manifestações artísticas como circo, teatro, música, artes visuais, dança, manifestações tradicionais, literatura e audiovisual. A Orquestra Indígena Teko Arandu faz parte do grupo de ‘Manifestações Tradicionais’ e configura entre os cinco projetos do Centro Oeste escolhidos para o evento (três do Distrito Federal, um do Mato Grosso e um do Mato Grosso do Sul). As datas e locais das apresentações da orquestra no Rio de Janeiro ainda serão definidas. O objetivo do Ministério da Cultura é fomentar a programação cultural dessas cidades e dar espaço a pequenos e médios produtores culturais durante um dos maiores eventos esportivos do mundo, apresentando a riqueza e pluralidade da cultura nacional a brasileiros e estrangeiros. Sobre a Orquestra Indígena A orquestra ‘Teko Arandu’, projeto selecionado pelo Programa Oi Novos Brasis do Oi Futuro, beneficia 125 crianças, adolescentes e jovens, na faixa etária entre seis e 24 anos, das comunidades e escolas indígenas da rede pública de ensino de Anastácio e Aquidauana (MS). Os alunos recebem oficinas de formação musical teórica e prática de instrumentos de percussão, sopro e cordas (violão) e de musicalização. O objetivo é oferecer formação musical continuada a jovens em situação de vulnerabilidade social. Sobre o Instituto Ressoarte O Instituto RessoArte é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que  tem como sua missão principal a construção de uma sociedade mais justa, solidária e sustentável. Seu foco é incidir em espaços de discussão sobre políticas públicas e ações para o desenvolvimento local, com ênfase nas áreas da Cultura da Infância, Cultura de Paz, formação profissional e tecnológica e socioambiental, promoção do desenvolvimento econômico, do voluntariado, da ética e dos direitos humanos por meio de uma gestão compartilhada e participativa (estado-sociedade civil), visando promover formação cívica, educacional e cultural aos seus participantes. O Instituto desenvolve suas ações há cinco anos nos municípios de Anastácio e Aquidauana/MS, situados a 125 km da capital Campo Grande (MS). Sobre o Oi Futuro O Oi Futuro é o instituto de responsabilidade social da Oi, que desenvolve e apoia programas e projetos nas áreas de educação, cultura e sustentabilidade. O Oi Futuro tem um compromisso com a transformação e com a inclusão social, tendo como missão promover o desenvolvimento humano por meio das tecnologias da informação e da comunicação. Desde 2001, suas ações visam democratizar o acesso ao conhecimento e reduzir distâncias geográficas e sociais, com especial atenção à população jovem. Na educação, os programas NAVE e Oi Kabum! usam as tecnologias da informação e da comunicação, capacitando jovens para profissões na área digital e criativa, fornecendo conteúdo pedagógico para a formação de educadores da rede pública e fomentando o desenvolvimento de modelos inovadores. Já na área cultural, o Oi Futuro mantém dois espaços culturais no Rio de Janeiro (RJ) e um em Belo Horizonte (MG), com programação nacional e internacional de qualidade reconhecida e a preços acessíveis, e o Museu das Telecomunicações nas duas cidades, além de apoiar festivais e projetos em todas as regiões Brasil por meio do Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados. O programa Oi Novos Brasis reafirma o compromisso do Instituto no campo da sustentabilidade, com o apoio e o desenvolvimento de parcerias com organizações sem fins lucrativos para a viabilização de ideias inovadoras que utilizem a tecnologia da informação e comunicação para acelerar o desenvolvimento humano. O esporte completa o seu escopo de atuação apoiando projetos aprovados pelas Leis de Incentivo ao Esporte, tendo sido a Oi a primeira companhia de telecomunicações a apostar nos projetos socioeducativos inseridos na Lei Federal.

Ensaio Geral